Saúde mental em tempos de pandemia: especialista dá dicas para amenizar os impactos causados pelo distanciamento social

Diante das limitações impostas pelo cenário de distanciamento social, que atua como uma das ferramentas mais eficazes contra o avanço do novo coronavírus, a inserção de novos hábitos e práticas pode acabar impactando a saúde mental dos indivíduos.

Nos últimos meses, milhares de pessoas ao redor do mundo tiveram as suas rotinas modificadas pela pandemia. Escolas e universidades adotaram o sistema de aulas virtuais, trabalhadores foram demitidos ou afastados das suas funções, eventos com grande número de pessoas foram suspensos. De acordo com a psicóloga Larissa Abreu, o desenvolvimento de ansiedade, estresse agudo, irritabilidade e medo excessivo estão entre os principais efeitos gerados por essas mudanças. “Todos nós estamos sujeitos a passar pelos mesmos percalços”, afirma.

Segundo Larissa, além do acompanhamento psicológico, algumas estratégias de enfrentamento podem ser colocadas em prática para conter o agravamento desses sintomas. “Assistir séries, ver filmes, ler livros, buscar conteúdos que agreguem”, diz. Para a psicóloga, essas alternativas devem ser ajustadas de acordo com a realidade de cada indivíduo. “O interessante é que a gente possa respeitar o nosso tempo, respeitar o nosso ritmo e estar aberto à possibilidade de investir em habilidades. Entender que nós somos seres individuais e particulares e que não podemos nos generalizar”, completa.

A especialista também alerta para os cuidados com a saúde mental dos idosos. “São pessoas que estão muito mais isoladas que as outras, isso afeta a saúde mental e pode levá-los à depressão”, explica. Além de chamar atenção para a saúde mental desse grupo, a psicóloga recomenda que as famílias estejam atentas ao aparecimento dos sintomas. “As pessoas que têm idosos em casa precisam estar atentos a qualquer sinal ou sintoma de depressão ou ansiedade para que esses quadros não evoluam, para que busquem um atendimento profissional”, acrescenta.

COMPARTILHAR
Gabriela Araújo
Estudante de jornalismo e criadora de conteúdo digital. Acredita na ressignificação das coisas como ponto de partida para a evolução coletiva e pessoal.