Prefeitura ignora Nordeste de Amaralina em medidas de combate à dengue e chikungunya

Dez localidades de Salvador foram contempladas com bloqueio ampliado para o combate do Aedes aegypty. Entretanto, assim como acontece com as ações de combate ao novo Coronavírus, o Complexo Nordeste de Amaralina foi mais uma vez ignorado pela Prefeitura de Salvador. O grande número de casos de dengue, Zika e chikungunya no bairro não foram suficientes para que a gestão municipal adotasse as medidas de combate ao mosquito.

Serão contemplados os bairros de Brotas, Cosme de Farias, Calabar, Engenho Velho da Federação, Saúde, Barbalho, Sete de Abril, Nova Brasília, Jardim Nova Esperança e Pituaçu.


De acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde, Salvador registrou um aumento de 740% no número de casos de chikungunya nos três primeiros meses de 2020. A capital baiana contabilizou 1.606 casos, enquanto no mesmo período do ano passado, 217 foram infectadas pelo mosquito Aedes aegypti.

Em toda a Bahia, houve aumento de 544% no número de casos de chikungunya relação ao mesmo período do ano passado.

COMPARTILHAR
Tiago Queiroz
Graduado em Comunicação/Jornalismo, e exerce as funções de Editor e Coordenador de Jornalismo do Portal NORDESTeuSOU