Em live, Rodrigo Coelho defende isolamento social, mas cobra descriminalização das festas de paredão no pós – pandemia

Em um Live realizada na noite desta quinta-feira (3) com a presença da pré- candidata do Partido dos Trabalhadores (PT) à Prefeitura de Salvador, a major Denice Santiago, o também pré-candidato a vereador de Salvador, Rodrigo Coelho defendeu a descriminalização das festas de “paredão”. Bastante comum nos bairros populares e com grande adesão do público jovem, os paredões são constantemente alvos de ações de Polícia Militar.

Rodrigo atribui a criminalização do paredão ao fato de os agentes públicos desconhecerem a realidade das periferias. O advogado defende que esse tipo de festa nada mais é do que um espaço de expressão cultural dentro dessas comunidades. 

“Embora tenhamos que discutir a questão da poluição sonora, entendo que é preciso também discutir caminhos. pois muitas vezes o paredão acaba com bombas de gás lacrimogêneo ou a com polícia empurrando o carro em cima das pessoas para acabar a festa. A partir do momento em que o poder público entender que o paredão é uma forma de expressão de cultura dentro da periferia poderemos conversar em um outro patamar. Vou, curto e gosto muito do paredão É preciso também haver diálogo no sentido de criar outros espaços de lazer como salas de arte, de dança, e grupos de teatro.”.

“Nesse momento especial de pandemia a gente entende a necessidade do isolamento social e do respeito ao distanciamento, mas não podemos abrir qualquer brecha para transformar essa discussão do momento da pandemia em criminalização dos perdões. Tomo como exemplo o Bairro da Paz e o Nordeste de Amaralina, onde já estive algumas vezes para defender pessoas que foram conduzidas pela polícia por conta de festas de paredão”, completa Coelho.

COMPARTILHAR
Tiago Queiroz
Graduado em Comunicação/Jornalismo, e exerce as funções de Editor e Coordenador de Jornalismo do Portal NORDESTeuSOU