Moradores do Nordeste de Amaralina investem no “e-commerce” para driblar a crise

A crise econômica, fruto da pandemia do novo coronavírus, acelerou o crescimento do chamado do e-commerce (abreviação em inglês de comércio eletrônico). No Complexo Nordeste de Amaralina, muitos foram os casos de moradores que aproveitaram a crise e resolveram investir em lojas virtuais nos mais diversos ramos. Esse foi o caso de Daiana Pereira, Thalya Salles e Walisson Santana.

Desempregados, Daiana e o marido resolveram investir na vendas de máscaras para ganhar o pão de cada dia. De acordo com a empreendedora, moradora da Chapada do Rio Vermelho, o primeiro passo foi vencer o medo e a desconfiança “A ideia veio de meu cunhado e da esposa dele que é costureira. No começo achei que não iria dar certo… Fiquei receosa de pegar essas máscaras e não conseguir vender. Daí veio a ideias das vendas online. Comecei a postar no meu status e não é que deu certo?”, relata Daiane.

As máscara são feitas sob encomenda e os pedidos são feitos pelo Whats App, como explica a empresária: ” A pessoa escolhe a estampa que gosta e faço as encomendas. Achei melhor a pessoa escolher por motivo de cada um ter um gosto diferentes…São mascaras de ótima qualidade 3d 100% algodão e ainda tem as mascaras de caça bordada. Para atrair ainda mais clientes coloquei que na compra de duas máscaras ganha um copo de brinde”.

Situação semelhante foi vivenciada por Thalya Salles, 23 anos, moradora do Vale das Pedrinhas. Embora, diferentemente de Daiane a jovem não estava desempregada, a ideia de incrementar a renda foi o combustível principal para a criação da sua loja virtual. Surgiu assim a “Thay Lingerie”.

“Sempre tive vontade de ter algo meu aí uma amiga minha Cris me deu a ideia de eu vender lingeries.  O primeiro passo foi abrir logo o insta da loja. No início comprava poucas peças, pois era difícil pra vender porque eu trabalhava e chegava muito tarde. Pensei em desistir. Não queria mais.  Aí meus amigos me incentivaram a continuar e estou até hoje aqui. Desde o início sempre fui determinada, sonhadora e estou em busca de crescer”, explica Thalya que trabalha como caixa em uma loja de um shopping center da cidade.

O segundo passo, de acordo com Thalya, foi procurar os fornecedores e os tipos de lingerie que seriam comercializada. “Procuro peças que não estamos acostumados a ver. Minhas lingeries não são assim como as outras. Procuro as mais destacadas no mercado: polly, lacradora , sensual, com sainha , desenhando… Faço o esforço de deixa com o preço bem baixo”

A inspiração de Walisson Santana de Araujo, 23 anos, morador do Nordeste de Amaralina, para a criação da “Império Joias” surgiu da constatação da carência de comércio desse segmento dentro do bairro onde ele reside.

“Surgiu por acaso… Eu queria comprar uma corrente de moeda antiga e não conseguir encontrar uma pessoa que vendesse esse material. Achei esse produto somente no Lobato. Foi aí que tive a ideia de trazer o produto pro Nordeste e a galera curtiu. O material é 100% moeda antiga. Temos correntes, pulseiras, anéis. Com diversos modelos entre eles”, explica Walisson que também investiu em um estúdio de tatuagem.

“Vendemos em toda salvador. Você pode encontrar nossos produtos nas plataformas da (OLX, MERCADO LIVRE ). Começamos em agosto desse ano e em menos de quatro meses foram feitas cercas de 135 vendas de cordões, correntes, anéis”, completou.

Mais informações:

Thay Lingerie:

Império Joias:

Daiane Máscaras –

Contato: (71) 99355-3718

COMPARTILHAR
Tiago Queiroz
Graduado em Comunicação/Jornalismo, e exerce as funções de Editor e Coordenador de Jornalismo do Portal NORDESTeuSOU