Feira do Nordeste é novamente causa de aglomeração; Prefeitura ignora

A tradicional feira do Nordeste de Amaralina, realizada aos domingos, voltou a ser causa de grande aglomeração. Feirantes e consumidores se misturavam e desrespeitavam as recomendações da Organização Mundial de Saúde sem qualquer tipo de controle da Prefeitura de Salvador . Não há fiscalização sobre o uso de mascara e tão pouco sobre a regra de distância mínima entre as pessoas.

Enquanto isso o Coronavírus segue em forte escalada por todo Complexo. São atualmente 484 casos. A Santa Cruz lidera a lista com 268 pessoas infectadas. No Nordeste de Amaralina, onde acontece a feira, o crescimento é exponencial. Se há um mês atrás eram 38 casos, agora são 184. Os dados são da Secretaria Municipal de Saúde.

Foto Leitor NES

Morador antigo do bairro e frequentador assíduo da feira, Manoel Costa relata alguns desses inconvenientes que se repetem toda semana no referido espaço. “Ir à feira parte da minha rotina semanal há mais de 30 anos. No entanto, vejo com muita tristeza a atitude de alguns feirantes e também dos participantes da feira, onde não existe o respeito do distanciamento e também do uso da máscara. O que mais vemos são pessoas com a mascara abaixo da boca, muitas vezes passando a mão no nariz e espirrando no meio do povo”, afirmou Manoel.

“Acho que a prefeitura, não só na feira do Nordeste como em outras feiras -livres, deveria pôr agentes para fiscalizar e regular o acesso e também a conduta das pessoas nesses espaços”, completa o fiel cliente.

Opinião parecida tem a corretora de segura, Ana Cristina Rodrigues, costumeira frequentadora do comércio do bairro. Receosa, Cristina resolveu mudar os hábitos e adotou o serviço de delivery para suprir a dispensa. “Antes da pandemia eu gostava muito de fazer o mercado e a feira do Nordeste. Ia sempre aos sábado a noite ou no domingo de manhã cedo. Parei de frequentar devido a pandemia e ao ver pessoas sem mascaras, com mascaras no queixo, fazendo aglomeração, confusão, churrasco e muita falta de higiene. Foi então que eu resolvi então comprar minhas frutas, verduras e demais ítens via delivery para evitar ter que ir na feira”.

COMPARTILHAR
Tiago Queiroz
Graduado em Comunicação/Jornalismo, e exerce as funções de Editor e Coordenador de Jornalismo do Portal NORDESTeuSOU