Doceiros do Nordeste de Amaralina se reinventam na pandemia para garantir o tradicional chocolate

Com restrição das vendas em lojas, empresas e pequenos produtores apostam no sistema virtual e nas tele-entrega durante a pandemia.

Não importa se são ao leite, amargo, branco, com frutas, ou de nutela… Só de pensar já dar água na boca, pois bem, chegou a época mais doce do ano, a Páscoa. Se você é chocólatra de carteirinha, ou até mesmo tem crianças em casa e não quer deixa a pandemia de Coronavírus estragar esse momento especial, saiba que você pode apelar para o delivery de ovos de chocolate, matando sua vontade, não arriscar sua saúde, nem esse momento mágico em família. Pode ainda ajudar a fortalecer os comerciantes do bairro.

Os doceiros locais recorreram à alternativa do serviço de tele-entrega via motoboy para driblar a pandemia e garantir as vendas neste momento atípico. Como são os casos das jovens empreendedoras: Thais Brandão, Tainá Luísa, e Licy Bastos, são três exemplos de jovens, mulheres, batalhadoras que encontraram no ramo a forma de garantir um dinheiro a mais no orçamento.

Thais Brandão

Thais, moradora da rua do Gás, por meio dos bombons, e ovos de colher pleiteia uma renda extra para ajudar custear seus estudos. “Desde adolescente vendo brigadeiros e trufas, eles se tornaram minha base para arcar os estudos, no ensino médio foram assim, e agora no curso superior. Quando chega o mês mais doce do ano intensifico a produção, aceitando pedidos e comercializo ovos de páscoa gourmet. Amo chocolate, e trabalhar com ele, é um prazer, ainda proporcionar um deleite para os chocólatras, assim como eu. Risos. Chocolate é vida, saúde, todos gostam, ainda mais os meus ovos personalizados, faço conforme as instruções dos clientes, conseguir atingir todos os perfis. Procuram-me pelas redes no @pedacinhodoceussa, façam o pedido, e entrego no conforto de sua casa, faço doces para todos os bolsos”, diz a estudante de farmácia de 24 anos.

Tainá Luiza

Tainá, pensando no período de isolamento social, no qual as pessoas não podem sair de suas casas, criou uma maneira para deixar a vida mais doce e leve dos confinados. “Ofereço um cardápio especial de doces finos, tortinhas, salgados, além dos ovos de colher. Pensando nas precauções, e os cuidados com a saúde, os pedidos devem ser feitos por meio das redes sociais. Garantia de entrega rápida e qualidade. Não passe tédio na quarentena. Coloque um pouco de doce na sua vida, é só entrar em contato com @tl_docessalgadosgirassol”, pontua a moradora do Nordeste, de 22 anos de idade.

Licy Bastos, 22 anos, moradora da Santa Cruz, apesar da pouca idade atua na confeitaria desde os 14 anos de idade, sendo a mais experiente das três na produção de ovos de colher. A jovem começou vendendo brigadeiro na comunidade, e ficou conhecida como “a garota do brigadeiro”, com os elogios passou a investi em outros tipos, dedicando a época da Semana Santa na fabricação caseira de ovos gourmet, e criando sempre um doce novo, após quatro anos de vendas consolidou clientes, porém com a pandemia viu os pedidos serem cancelados. “Foi um desespero. Tenho anos no ramo, e foi a primeira vez que minhas vendas caíram. Abro minha agenda com meses de antecedência, e com a crise do coronavírus, as pessoas cancelaram 75% dos pedidos. Já tinha comprado boa parte dos produtos”, desabafa a proprietária do @jlfestas2018.


Ainda segundo a jovem doceira ela recorreu a seu marido para buscar uma alternativa. “Meu esposo sugeriu fazer entregas, fizemos o teste e o povo gostou. Quando aderimos o serviço delivery as vendas que caíram, duplicaram. Graças a Deus. O importante é preservamos a saúde dos clientes, e não deixar faltar o doce predileto da pascoa”, explica a jovem confeiteira.


Após as vendas aumentarem com os pedidos tele-entrega, a jovem criou os ovinhos fritos, como o nome sugestivo a iguaria tem o formato de ovos de galinha, porem feito com chocolate branco. “Gosto de abusar da criatividade. Elaboro em casa, e neste ano a sensação são os ovinhos fritos, inspirados na omelete, feito com muito chocolate branco. É um dos doces mais pedidos, além de serem doces baratos que é acessível a todos, e ainda é barato papa presentear alguém especial”, comenta a confeiteira.
O NES deseja um bom domingo de Páscoa, e reitera que devemos seguir a risca o isolamento social. Cuide-se e cuide-se dos seus! Para mais informações acessem as redes sociais das meninas, façam seus pedidos, e fortaleçam os comerciantes locais que mais que nunca necessitam.


@pedacinhodoceussa- Thais Brandão
@tl_docessalgadosgirassol- Tainá Luísa
@jlfestas2018- Licy Bastos

COMPARTILHAR
Luis Lago
Amante da Literatura, apaixonado pelas Letras. Discente de Letras Vernáculas e Língua Inglesa, poeta, escritor , blogueiro, professor e Repórter do site NES.