Idosos do Nordeste de Amaralina transforma suas tarefas com a quarentena.

Neste período de isolamento social para combater a disseminação da doença Covid-1, muitas pessoas não sabem o que fazer dentro de casa. Alguns se sentem solitários, outros ansiosos e tensos. Um dos públicos mais afetados nessa conjuntura sãos os idosos.  Pesquisas da Organização Mundial de Saúde e do Ministério da Saúde colocam os mais velhos entre os mais suscetíveis e afetados pelos novo coronavírus.

O idoso da família,é a pessoa mais valiosa, com todas as características que determinam essa pessoa. Significa a origem, as lembranças, as experiências de vida e seus ensinamentos, sendo fundamental o aumento do cuidado com eles. Porém, com o isolamento social, muitas atividades diárias da rotina deles, tiveram que serem suspensas radicalmente, como ir à padaria, supermercado, igreja, almoços em familia, visitar parentes ou receber visitas de amigos, ou participar de grupos de convivências.

O NES ouviu três anciãs do Nordeste de Amaralina, Berenice Fiaz, Maria Maia, e Maria Magalhães a fim de saber sobre suas atividades no confinamento nesse processo de distanciamento social, e conversou com a especialista e coordenadora do grupo de Idosos Feliz Idade, Fabiana Vanni. 

Para Berenice Fiaz, 69 anos, está sendo um desafio, mas usa a habilidade artística como forte aliado. ‘Sou uma pessoa ativa, gosto do mundo externo. Tenho todo um pique no cotidiano. Confesso que ficar todos esses dias dentro de casa é um desafio, mas necessário. Nas primeiras semanas parei e recorri a alternativa que me desse prazer de executar e ajudasse no passar do tempo. Lembrei-me do curso de pintura e desenho que realizei há um tempo. Com tanta disponibilidade coloquei em prática. Estou amando. Uma válvula de escape. Tenho produzido uma peça mais linda que a outra. Mando pela internet a minhas colegas e familiares’’, descreve a moradora do Nordeste a respeito da forma que encontrou a fim de driblar o tempo livre dentro de casa.

.Maria Maia, 62 anos, é um exemplo de pessoa que contrária o pensamento de que pessoas da terceira idade não é adepto das redes sócias, e mostra que a \internet tem ajudado a amenizar a saudade causada pelo afastamento do convívio social. ‘Gosto de manter minha rotina enérgica. Ir ao supermercado, selecionar bem os produtos, procurar os preços baixos, mas nesse momento não estou podendo. Porém, não deixo de preparar meus quitutes, a cozinha quem assume sou eu. Risos. Com a mudança brusca e pertinente estou recorrendo às redes sócias, sou totalmente internauta. Risos. Com mais tempo livre estou mais que nunca online, se tornou meu fiel companheiro, ainda mais quando aperta a saudade do meu netinho de 4 anos, faço chamada de vídeo, mando fotos, alivia. Como qualquer vovó coruja não pode faltar os beijos, mas de maneira consciente, virtual. A gente segura a saudade pelo bem de todos. Além disso, tenho uma programação seguida à risca: Acompanho as missas, rezo meu terço, cuido das minhas plantas, e procuro está presente virtualmente na rotina dos meus, e estou viciada nas lives. Risos. Preparo meu café, conecto nos shows, arrasto meu sofá, e vai dois para lá e dois cá, e assim o tempo passa, e a agradeço a Deus por mais um dia’’, diz a residente da Santa Cruz.

A moradora do Vale das Pedrinhas, Maria Magalhães, 79 anos, tem encontrado na fé o acalanto para os dias difíceis. Com tantas experiências que já passei ao longo da minha vida, já se completam 80 anos, posso afirmar: A fé não costuma falhar. Esse momento delicado tem trazido angustia para muitas pessoas, nós idosos estamos vulneráveis. Porém, esta também pode ser uma oportunidade para se reencontrar com Deus e com a fé. Sou devota fervorosa de Santo André e sei que assim como já me ajudou a enfrentar outras adversidades, vencerei essa. Mantenho a minha rotina de oração diária, e refletindo e aprendendo com nós mesmo e rezar por todos, em especial para pacientes e pessoas que não podem ficar em casa durante a disseminação da Covid-19, e que o Pai piedoso capacite ainda mais e de sua luz a esses cientistas, pesquisadores e médicos que encontre a cura para essa chaga mundial. Tenhamos fé, Deus não desampara nenhum dos seus filhos. Vamos levar a risca as orientações a que são dadas, e cuidar dos nossos’, comenta a religiosa confiante na chegada de dias melhores.  

A especialista Fabiana Vanni responsável técnica da Unidade de Saúde da Família Menino Joel-Nordeste, e coordenadora do grupo de Idosos Feliz Idade, nos da algumas informações importantes a cerca dos cuidados que devem ser adotados com os idosos nesse período: ‘Nós temos um grupo no WatsApp, onde trocamos informações, mensagens de ânimo, orientações de cuidados com a saúde, etc. Diariamente elas mandam mensagens, músicas, fotos, algumas viajaram para a casa de parentes no interior. Percebemos uma certa ansiedade delas, em retomar as atividades do grupo, já que, para a maioria, era a única fonte de dispersão social que tinham e muitas fizeram novas amizades após a convivência no grupo. Tentamos ao máximo minimizar este sentimento de ansiedade, promovendo divulgação de atividades que elas podem estar fazendo em casa, como por exemplo: exercícios simples de alongamentos, danças, etc, através de vídeos explicativos. Importante ressaltar que temos muita atenção a prevenção de acidentes domésticos neste grupo. Algumas atitudes podem ser tomadas para evitar acidentes, tais como: evitar tapetes soltos, não tirar os móveis do lugar habitual, garantir área de passagem livre de mesas de centro, plantas ou outros objetos que possam representar obstáculos. Orientamos também a manter os fios elétricos e extensões bem afixadas, enxugar de imediato algum líquido derramado no chão, para evitar quedas e manter a casa bem iluminada. Não podemos esquecer das precauções amplamente divulgadas nas redes sociais e televisores: lavar bem as mãos com água e sabão, ou passar álcool gel 70%; evitar contato físico e contatos com apertos de mãos, abraços, beijos; cobrir o rosto ao tossir ou espirrar. Esperamos que essa fase passe o mais breve possível, para que possamos retomar nossas atividades e minimizar as ansiedades, tristezas, preocupações e todas as angústias que o isolamento social têm causado nos nossos idosos’’, alerta.

O NES reiterar que todos devem levar a sério as recomendações prescritas pela Organização Mundial de Saúde e do Ministério da Saúde, se puder fica em casa. Cuide-se e cuide-se para que podemos estamos juntos o quanto antes. Para mais informações sobre o grupo Idosos Feliz Idade:Contato:3611-3536- USF Menino Joel,

COMPARTILHAR
Luis Lago
Amante da Literatura, apaixonado pelas Letras. Discente de Letras Vernáculas e Língua Inglesa, poeta, escritor , blogueiro, professor e Repórter do site NES.