Conheça a história de Bianca Gomes: da Santa Cruz para os tribunais do mundo

A formação acadêmica superior é o sonho de muitos jovens da nossa comunidade, que mesmo encontrando dificuldades ao longo da sua trajetória, ainda assim não se dão por vencidos.

Esse é o caso de Bianca Gomes, 24 anos, moradora da rua Mario Ribeiro, na Santa Cruz. Filha de mãe diarista, Bianca sempre teve o sonho de cursar Medicina ou Direito, e contou com exclusividade ao NES como foi a sua caminhada até a tão sonhada graduação.

“Desde criança eu sempre tive o sonho de cursar Medicina ou Direito, e por questões financeiras eu optei por Direito. No início da faculdade eu não consegui o financiamento estudantil, então eu fiz um financiamento pela própria faculdade onde eu pagava as mensalidades com o dobro do tempo e acabou se tornando uma opção melhor”, conta.

Durante os anos de faculdade, Bianca conciliava as aulas com o trabalho, de onde tirava o dinheiro para custeio da mensalidade e do transporte. O horário do almoço era usado para estudar.

“Meu primeiro livro foi a Constituição que ganhei de presente de uma amiga do trabalho. Os livros de Direito são muito caros e eu não tinha condição de comprar, os que eu tenho são usados e foram doados pelas pessoas que minha mãe trabalhava”, lembra.

Durante a sua jornada não faltaram percalços. Nada é fácil para uma jovem da periferia. Bianca ficou desempregada, mas não desanimou. Com a ajuda dos pais teve força para seguir em frente. “Com o tempo eu acabei ficando desempregada e foi ai que as coisas começaram a pesar. Chegamos a pagar mil reais de faculdade, mesmo com o financiamento. Minha mãe chegava do trabalho e eu tinha que encontrar ela no ponto de ônibus pra poder usar a mesma carteira de passagem que ela e fazer a integração”, recorda a bacharela.

“Eu já saia de casa alimentada ou levava uma fruta ou um biscoito pra comer lá, porque não tinha dinheiro pra comprar nada na faculdade. Para voltar pra casa da faculdade, eu pegava carona com os colegas ou meu irmão ia me buscar, ele passava o dia inteiro trabalhando e por volta das 22h ia me buscar. Foi nesse momento que pensei em desistir e trancar a faculdade, o sonho passou a virar pesadelo  e minha mãe sempre me falava pra não desistir, que ela ia dar um jeito. Ela tinha que pegar empréstimo na mão de pessoas ou passar o cartão das pessoas pra poder pagar as mensalidades, foi um período de muitas lutas. Logo depois desse período meu pai deu um surto e desapareceu”, completa. Em junho de 2017, o vento começou a soprar a favor de Bianca. A estudante foi contemplada com um desconto de 87% no FIES, além de ter começado a estagiar.

“Nunca me deixei abater por nada que aconteceu durante a graduação, por mais que estivesse passando dificuldades eu colocava um sorriso no rosto e não deixava nada me abalar. Hoje em dia eu agradeço muito a minha mãe por todo o esforço que ela teve, e meu também por não ser reprovada. A batalha ainda não acabou, pretendo fazer minhas especializações e ajudar a pessoa que mais me ajudou, até porque minha mãe está se tornando uma pessoa de idade e tem muitas limitações. Sou muito, muito grata por tudo que ela fez e ainda faz por mim e por nunca ter me deixado desistir. O próximo passo é passar no Exame de Ordem pra poder colocar em prática tudo aquilo que eu sei”, vibra satisfeita a nossa “doutora”.

COMPARTILHAR
Lais Lopes
Estudante de Jornalismo, ativista de todas as causas, amante da literatura, escritora e poetisa, cristã, lutando como uma garota e sempre em busca do conhecimento!