Comunidade lamenta morte de Marcus Vinicíus: “A ficha está caindo aos poucos”

“Tudo começou quando a gente conversava / Naquela esquina alí / De frente àquela praça / Veio os homens / E nos pararam / Documento por favor / Então a gente apresentou / Mas eles não paravam / Qual é negão? qual é negão? / O que que tá pegando? / Qual é negão? qual é negão?” (Marcelo Yuka)

O Nordeste de Amaralina novamente se cobre de luto. Apenas 48 horas após perder o técnico de enfermagem Antônio Cesar Pitta para o Coronavírus, a comunidade teve outra baixa: o músico Marcos Vinícius Cidreira, 21 anos, é mais um a engrossar a cruel estatística de jovens negros e da periferia que tiveram sua vida ceifada durante operações policias. O rapaz, que que trabalhava como entregador de lanches, saiu de casa, na manhã desta sexta-feira (24), para comprar o pão e não mais voltou. Foi atingido por um bala na região do tórax, quando passava perto da Base Comunitária de Segurança da Santa Cruz. Seu filho, que completou um mês de vida nessa semana , assim como centenas de outras crianças do bairro, vai crescer sem o carinho paterno.

A morte prematura do jovem chocou a comunidade. Muitas foram as manifestações de amigos e parantes, que usaram as redes sociais para lamentar a partida de Marcus. “Lembro da alegria dele em participar da gravação do dvd da banda Natiruts. E quando tirou habilitação para poder trabalhar. Ontem o filho dele completou um mês de nascido. É triste saber que na mesma data de aniversário de um mês do filho é a data da morte do pai. Fora isso, não tem como entender mais nada. A ficha está caindo aos poucos”, disse um parente da vítima em entrevista ao Nordesteusou.

“Conheci Marcus na época do DM de Boa, ele deveria ter uns quinze anos. Ele chegou, logo se encaixou e começou a tocar bateria. Logo depois já vi ele já ensaiando com bandas de pagode da comunidade. Pude acompanhar ele se desenvolvendo como músico, como artista e entendendo a mensagem que Marquinhos Show e Denny Conceição passaram para ele que é possível sair do Nordeste de Amaralina e viver de arte, além de colocar comunidade num espaço de visibilidade positiva. Fico muito triste com a noticia da morte dele. Marcos era uma das estrelas que tiveram seu brilho revelado na constelação que é o Nordeste de Amaralina. Infelizmente ele foi colocado dentro do tema que mais da visibilidade a nossa comunidade: a violência policial. Eu lamento que essa semente tenha sido arrancada dessa terra tão cedo. Se nossos espelhos continuarem a ser quebrados, o que vai ficar?”, completa Armeng.

“A família somente recebeu a notícia agora a noite…Ele saiu para comprar pão e não mais voltou. Tinha saído apenas com o documento e o dinheiro do pão. As horas foram passando e nada. Preocupados saíram para procurar até que um conhecido ligou do HGE e disse que ele tinha dado entrado lá. Um absurdo. Menino, honesto, direito, trabalhador. Com 21 anos e já tinha casa dele construída com muito suor. É muito doloroso para uma mãe passar por isso. Ela mãe está arrasada. Só Deus…”, disse uma amiga da família.

BO – De acordo com o boletim de ocorrência, divulgado pela 28ª DT do Nordeste de Amaralina, “a guarnição realizava rondas ostensivas na localidade quando se deparou com aproximadamente quatro armados”. Ainda segundo o BO, após ser dada voz de prisão e diante da recusa dos rapazes, foi inciada uma troca de tiros: “Houve o revide dentro da proporcionalidade e ao cessar os disparos verificou-se que havia uma pessoa no solo, na retagurda da viatura”.

Em Nota o NORDESTeuSOU lamentou ocorrido.

COMPARTILHAR
Tiago Queiroz
Graduado em Comunicação/Jornalismo, e exerce as funções de Editor e Coordenador de Jornalismo do Portal NORDESTeuSOU