Uma das casas atingidas por micro-ônibus da PM é condenada pela Defesa Civil

Coletivo da Polícia Militar bateu no muro de uma casa e só parou dentro de outro imóvel. Dois moradores e policial ficaram feridos; caso ocorreu no bairro de Santa Cruz.

Uma das casas atingidas pelo micro-ônibus do Batalhão de Choque da Polícia Militar da Bahia no bairro de Santa Cruz, em Salvador, foi condenada pela Defesa Civil (Codesal), na manhã desta segunda-feira (15). O acidente aconteceu na Rua 11 de Novembro, na noite de domingo (14).

A Defesa Civil esteve no bairro de Santa Cruz na manhã desta segunda-feira para fazer a avaliação do imóvel, que acabou interditado. Técnicos do órgão também trabalharam na remoção do micro-ônibus. Equipes da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado (Conder) e engenheiros da PM também estiveram no local.

Segundo informações de Expedito Sacramento, engenheiro da Codesal, dois pilares da casa condenada foram atingidos pelo micro-ônibus. Para evitar que eles caiam, foi feito um escoramento emergencial.

“O que tinha de risco nós já tentamos suprir. Foi feito o escoramento emergencial da estrutura, que foram dois pilares que ficaram danificados e praticamente deslocados e fizemos o escoramento de onde havia esses pilares”, explicou Expedito Sacramento.

Conforme a Codesal, a parte do fundo da casa não corre rico de desabamento, mas o imóvel precisou ser condenado por causa dos pilares atingidos.

De acordo com informações da Polícia Militar (PM), duas casas foram atingidas, além de quatro carros e uma moto, deixando três feridos. O veículo desceu uma ladeira desgovernado.

Além do policial que dirigia o micro-ônibus, um homem e uma criança ficaram feridos. Eles receberam atendimento médico e já foram liberados.

“Já conversamos com os proprietários do imóvel, nós estamos providenciando o aluguel social que a prefeitura já colocou à disposição. Nossos engenheiros estão aqui para analisar a situação física das instalações e vamos repor todos os danos que causamos”, disse o Coronel da Polícia Militar, Humberto Sturaro Filho.

Parte da ladeira da Rua 11 de Novembro segue interditada, mesmo com o imóvel já escorado.

Maria Fátima, que mora na casa condenada, informou que estava assistindo televisão com o marido, e os dois tinham acabado de subir para o 1° andar do edifício, quando o acidente aconteceu.

“Foi terrível, nunca imaginei que aconteceria isso. Tínhamos acabado de subir [para o 1° andar], tinha uns 5 minutos mais ou menos, quando subimos para dormir”, contou Maria Fátima.

COMPARTILHAR
Redação NES
NORDESTeuSOU.com.br, o Portal do Nordeste de Amaralina que tem o Objetivo de desfazer o mito de que a comunidade do Nordeste de Amaralina é dominada pelo crime, divulgando ações de esporte, lazer e entretenimento dentro da comunidade bem como notícias externas que direta ou indiretamente.