[Religião] Semana Santa: “Eis o dia da Salvação”.

Entenda o real sentido da Semana Santa.

”Sexta-feira da Paixão” ou “Sexta-feira Santa” é um feriado religioso comemorado pelos cristãos, simbolizando o dia da morte de Jesus Cristo, e faz parte das festividades da Páscoa, que simboliza a ressurreição do Messias. Sendo considerada uma data móvel, ou seja, não possui um dia específico para ser comemorado anualmente. Por regra, deve ser celebrada na sexta-feira que precede o domingo de Páscoa. 

De acordo com a tradição, para se definir o dia em que é celebrada a sexta-feira santa, considera-se a primeira sexta-feira de lua cheia após o equinócio de primavera (no Hemisfério Norte) ou equinócio de outono (no Hemisfério Sul). Para os cristãos, tradicionalmente, é um dia de rituais e penitências, como o jejum ou a abstinências de prazeres mundanos. “É um dia todo dedicado à oração e o jejum, precisamos refletir sobre tudo o que Jesus fez por cada um de nós, nada de festas e comemorações, e sim o silêncio!”, explica  Sara Santos fiel Católica, a mesma salienta as atividades do dia “É comum ver reconstituições, encenações, homenagens e outras formas de representações artísticas de como teriam sido os últimos momentos de vida de Jesus Cristo, seu julgamento, crucificação e ressurreição do “mundo dos mortos”, comentar.

Domingo de Ramos

Começa a Semana Santa, dia em que se comemora a entrada de Jesus em Jerusalém. Nos dias de hoje, os fiéis levam para a igreja ramos, a fim de serem abençoados, como símbolo de sua fé.

Segunda-feira santa:

Neste dia, se reflete o momento de descanso de Jesus, na casa de uma família que Lhe era muito estimada, a casa de Seu amigo Lázaro (a quem Ele havia ressuscitado), e de Marta e Maria Madalena. (Jo 12, 1-11).

Terça-feira santa:

É o dia, em que com grande tristeza, Jesus anuncia a Sua morte, causando grande sofrimento aos Seus discípulos. Anuncia também a traição e indica o traidor. Judas sai possuído por Satanás, para trair o seu mestre.

Quarta-feira santa:

É o 4º dia da Semana Santa, no Evangelho deste dia, é-nos apresentada a traição de Judas, descrevendo-nos como este foi ter com os chefes dos sacerdotes, a quem se ofereceu para trair Jesus. Aceita assim, trinta moedas de prata como recompensa da sua traição. (MT 26,14-25).

Quinta-feira santa:

É o dia da Última Ceia de Jesus Cristo com Seus Apóstolos, onde Jesus humildemente lavou os pés dos Seus 12 discípulos. É no momento do lava-pés que Judas Iscariotes sai, para entregar Jesus em troca das 30 moedas de prata (Jo 13,1-15). Foi aqui, que Nosso Senhor Jesus Cristo instituiu o Santo Sacrifício como Sua eterna memória, e em Seu último discurso, encorajou os discípulos a amarem-se uns aos outros. Depois Jesus dirigiu-se ao monte de Getsêmani, tomou Consigo três discípulos, e começou a Sua agonia nos jardins, onde foi preso pelos judeus.
É nesta noite que Jesus é preso, interrogado e ao amanhecer de sexta-feira, açoitado e condenado. A Igreja inicia a vigília ao Santíssimo, relembrando os sofrimentos começados por Jesus nesta noite.

Sexta-feira da Paixão:

Relembra o dia em que Nosso Senhor Jesus Cristo é crucificado (após sua prisão, Jesus é julgado e açoitado; recebe a coroa de espinhos na cabeça; é levado à presença de Pilatos, e depois de condenado, carrega a Sua própria cruz até ao monte Calvário; ao meio-dia é crucificado entre dois ladrões e por volta das três da tarde, Jesus morreu… o Seu corpo foi depois retirado da cruz e colocado num sepulcro cavado na rocha.

Neste dia, é praticado o jejum e a abstinência da carne, em sinal de penitência e respeito pela morte de Jesus Cristo.

Sábado de Aleluia

Jesus permanece no sepulcro. Na Vigília Pascal, os fiéis ainda estão à espera, na esperança da ressurreição. Neste dia, inicia-se a Vigília Pascal, ao final do dia, e termina com o amanhecer da Páscoa.

Domingo de Páscoa

Dia da ressurreição, onde Jesus se levanta de sua sepultura e vence a morte. É o dia do grande milagre! O dia em que Cristo volta à vida através da Sua Ressurreição de entre os mortos. É o dia em que se celebra a Vida, o Amor e a Misericórdia de Deus.

O seminarista da Arquidiocese de Salvador, Alexandre Oliveira, destaca a importância deste tempo para o calendário católico: “O Tríduo Pascal e o Natal do Senhor são os dois tempos mais fortes da Igreja e da Liturgia. Ao celebrar o Mistério Pascal de Cristo nestes dias(toda semana), recordamos com maior profundidade e contemplação cada momento vivido por Jesus, com sincero desejo de também  viver com Ele. Pois, este momento é mais que importante para os cristão? Porque vivemos ele em todas as celebrações eucarística. Na Santa Missa, vivemos a Santa Ceia, paixão, morte e ressurreição de Cristo, uma verdadeira memória\atualização desses acontecimentos”, ainda segundo o mesmo deve-se adentrar essa semana especial vivenciando alguns pontos. “Devemos dá maior destaque e vivenciar de forma integral alguns pontos:

1-Pedir a Deus a graça da experiência Pascal;

2- Recolhimento verdadeiro, evitando músicas, bebedeiras, festinhas e pecados;

3-Oração  e silêncio(calar um pouco mais);

4- Participar em todos os momentos, tentando perceber Cristo nos símbolos.

5- Entrar espiritualmente na experiência de Jesus.

Nós Católicos, vivemos este tempo de reflexão, seguindo os ensinamentos de Jesus, participamos de forma ativa das atividades da Igreja, que tem uma programação especial, neste tempo.

O ritual vai da procissão de ramos no domingo, momento de confissão durante a semana, missa de lava pés na quinta-feira, Via Sacra às 05h00min da manhã da sexta-feira, pelas ruas do bairro, Celebração da Paixão, Procissão da luz e por fim a missa de Domingo de páscoa.

Que a Páscoa do Senhor nos aproxime da santidade, tornando nossa vida um testemunho vivo de Cristo e causa Salvação de muitas almas.

Feliz Páscoa! Feliz sexta feira santa para todos!”, conclui o seminarista.

COMPARTILHAR
Luis Lago
Amante da Literatura, apaixonado pelas Letras. Discente de Letras Vernáculas e Língua Inglesa, poeta, escritor , blogueiro, professor e Repórter do site NES.