Posto aberto, mas sem médicos, afirma moradores.

Manifestantes alegam que o posto têm segurança, mas que a falta de médicos é recorrente desde a reabertura do posto, no dia 27 de dezembro de 2018 — Foto: Vanderson Nascimento / TV Bahia

E o impasse envolvendo o funcionamento do posto médico da Santa Cruz segue perto do final. Após prefeito “ordenar” o funcionamento da unidade (mesmo que de forma parcial) e o governo do estado, através da secretaria de segurança pública (SSP) garantir o policiamento, a população ainda reclama da falta de médicos no Centro de Saúde Santa Cruz . Os moradores do bairro fizeram uma manifestação nesta quinta-feira (10), por causa da falta de médicos no posto de saúde

Em Tempo: Em entrevista à Bahia FM, o a Prefeito ACM Neto disse estudar a implantação de uma nova unidade de saúde na região em um local que ofereça menos riscos para os profissionais e pacientes   . 

Os manifestantes alegaram que o posto tem segurança, mas que a falta de médicos é recorrente desde a reabertura da unidade, no dia 27 de dezembro de 2018, depois que o local foi fechado por 16 dias, após funcionários e pacientes serem feitos reféns por mais de três horas no dia 10 do mesmo mês.

“Eu queria marcar um médico para mim, mas disseram que não está tendo”, disse uma moradora do bairro.

“Não está marcando [consulta] porque os médicos não estão vindo trabalhar. Não deram previsão. Os médicos só querem que as pessoas se desloquem para o 5º centro, mas os moradores não têm condições financeiras para isso. Nós precisamos que os médicos retornem. Se os médicos não quiserem retornar, que o prefeito, juntamente com o secretário, realoquem médicos de outras unidades”, afirmou outra moradora.

O posto de saúde do bairro de Santa Cruz foi fechado no dia 11 dezembro. Na época, a prefeitura de Salvador informou que, por conta de uma organização interna, depois da invasão, os pacientes que eram atendidos no Centro de Saúde Santa Cruz, seriam remanejados para a Unidade de Saúde da Família (USF) Clementino Fraga (antigo 5º Centro), que fica no bairro dos Barris, a cerca de 8 km de distância.

No dia 13 de dezembro, após o comunicado, os moradores fizeram uma manifestação no bairro pedindo a reabertura do posto. O local chegou chegou a ser reaberto, mas, de acordo com os moradores, funciona de forma deficitária desde então.

“Ontem a Associação teve 50 pessoas que não tiveram atendimento na Unidade. O que a gente estranha é que na negociação, o prefeito garantiu que ia ter segurança. A segurança está ai, o posto está aberto. A gente agradece ao prefeito e ao secretário, mas a gente não pode ficar de braço cruzado. As crianças não estão tendo atendimento. As mulheres gestantes estão sem atendimentos. Tem muita mulher na comunidade sem atendimento”, pontuou o líder comunitário.

O que diz a Secretaria de Saúde

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou que o Centro de Saúde Santa Cruz, retomou as atividades gradativamente, desde o dia 27 de dezembro de 2018, para garantir a assistência básica para população do bairro.

Conforme o órgão, estão disponíveis os serviços de curativo, vacinação, farmácia, marcação de exames, administração de medicamentos, aferição de pressão arterial e glicemia. Além dos serviços odontológicos. Os atendimentos clínicos continuam sendo realizados no 5º Centro de Saúde.

De acordo com a SMS, a pasta tem providenciado a contratação de profissionais médicos para atuarem no posto. No entanto, oito já foram contratados, mas se recusaram a trabalhar na unidade.

Ainda segundo a secretaria, outras três unidades no distrito sanitário Barra/Rio Vermelho também oferecem atendimento clínico por demanda aberta: Centro de Saúde Engenho Velho da Federação, Unidade Básica de Saúde Eduardo Araújo – Vale das Pedrinhas e Unidade de Saúde Clementino Fraga – Centenário.

COMPARTILHAR
Tiago Queiroz
Graduado em Comunicação/Jornalismo, e exerce as funções de Editor e Coordenador de Jornalismo do Portal NORDESTeuSOU