População compareceu em peso ao Mutirão da Justiça Social no Centro Social Urbano

As senhas começaram a ser entregue às 9h, sendo que a maior procura foi para a emissão de carteira de identidade.

Durante todo o dia de ontem (28) Centro Social Urbano do Nordeste de Amaralina foi palco do Mutirão da Justiça Social, realizado pela Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS). A população que compareceu ao local teve acesso a diversos tipos de ações e serviços, tais como:  segunda via de RG, Carteira de Trabalho, CPF, Certidão de Nascimento, emissão de Passe Livre Intermunicipal para Pessoas com Deficiência, cadastro no Programa Identidade Jovem, entre outros.

Centenas de pessoas compareceram ao local. Teve gente que literalmente madrugou na fila. As senhas começaram a ser entregue às 9h, sendo que a maior procura foi para a emissão de carteira de identidade. De acordo com Carlos Martins, secretário titular da (SJDHDS), a caravana da cidadania é um instrumento importante contra a violência e pela cidadania. “É com muito prazer que estamos hoje aqui no Nordeste de Amaralina. Quando chegamos aqui para oferecer carteira de identidade, carteira de trabalho, certidão de nascimento e toda uma serie de sérvios é o estado dizendo: Cidadão, nós estamos aqui junto de vocês para tudo isso”. Tudo isso faz com que a comunidade se envolva e chegue cada vez mais junto com o estado”, ressaltou o secretário.

Andreia Macedo, diretora do Centro Social Urbano do Nordeste de Amaralina, destacou que o número de pessoas presentes acabou por superar as expectativas e frisou também a relevância da caravana para comunidade: “A importância de iniciativas como essa é percebida quando se vê que as pessoas vêm buscar dentro do CSU atendimentos que são de prioridade e que elas não têm acesso no dia a dia. O governo do estado acabar criando a oportunidade para que eles possam tirar esses documentos, gratuitamente, dentro da sua própria comunidade. Temos cerca de 400 pessoas aqui. Tem pessoas que estão aqui desde às cinco da manhã, outras dormiram aqui para que conseguisse ser atendida”.

Viviane de Souza, moradora da Chapa do Rio Vermelho, chegou ao CSU às 5h da manhã para conseguir tirar a segunda via do RG. “Teve um pouco de tumulto logo cedo, mas depois que a organização chegou e entregou as senhas tudo se normalizou. Foi bem rapidinho, já estou indo para casa. A senha começou a ser entregue por volta das 9h. Acho essa inciativa muito boa para o bairro”, explicou a jovem.

RECLAMAÇÕES –  Jeane da Conceição, moradora do Nordeste de Amaralina, se encontrava bastante revoltada. Jeane chegou logo cedo ao CSU para fazer o CPF da filha e para se inscrever no Bolsa Família, mas não conseguiu. O pessoal do Bolsa Família não veio. Ninguém sabe dar satisfação. Cada um diz uma coisa! Perdi noite, não fui trabalhar hoje, estou com fome e chega na hora acontece isso. Nem o CPF consegui fazer. Me disseram que o sistema caiu. É um absurdo. Isso é propaganda enganosa”, reclamou Conceição. Uma outra moradora, que preferiu não se identificar, também viu frustrada a sua tentativa de emitir a segunda via da sua identidade. A população veio em peso para cá e não tem nem trezentas fichas. Um só dia para tanta gente, não tem como! Eu vi até gente pegando ficha a mais para vender. Vim fazer o RG e não consegui. Já estou indo embora. Não tem como acolher toda essa população em um só dia. Deveria prorrogar para dois ou três dias”.

COMPARTILHAR
Tiago Queiroz
Graduado em Comunicação/Jornalismo, e exerce as funções de Editor e Coordenador de Jornalismo do Portal NORDESTeuSOU