Emocionado, Rodrigo Coelho dispara: “Eu sou sim pré-candidato a vereador para representar essa favela”

Foto: Lorena Guimarães

Antigo colaborador do Nordesteusou (NES), Rodrigo Coelho, marcou presença no Nordeste Day de verão. Um dos principais responsáveis pela viabilidade da festa, Coelho destacou o importante trabalho realizado pelo NES dentro do Complexo: “É muito bom fazer esse evento aqui no Nordeste de Amaralina. O Nordesteusou foi fundado há nove anos e desde então vocês são testemunhas desse nosso trabalho. Quando a coisa aperta é com o com a gente que vocês contam. É o transporte que não funciona, é a água que falta, é o esgoto que transborda… Nessas horas vocês contam conosco”.
Em seu discurso, Coelho, que é pré-candidato a vereador, aproveitou para reiterar o seu desejo de se tornar um represente legítimo da comunidade na Câmara Municipal:
“Estudei no Teodoro Sampaio, no Arthur de Sales e me formei em Direito graças ao Prouni, que deu oportunidade ao filho do pedreiro e da empregada doméstica a entrarem na universidade. Em 2020, eu sou sim pré-candidato a vereador para representar essa favela e olhar nos olhos de vocês todos os dias e dizer que vocês têm um representante. Contem comigo”.


O advogado alertou sobre os “forasteiros”, que para ele, são aqueles candidatos de fora que aparecem no bairro de quatro em quatro anos, mas que não possuem qualquer tipo de ligação com a comunidade.
“Esse ano, por se tratar de um ano de eleição, vocês já devem ter visto médico atendendo e coisas parecidas. Mas durante quatro anos essas mesmas pessoas viram as costas para a comunidade. Ninguém aqui ver alguém defendendo um posto de saúde 24h, aqui dentro do bairro. Ninguém aqui ver alguém defendendo um transporte público de qualidade… “, frisou Coelho.

“Vamos continuar fazendo o nosso trabalho para que a gente possa ter um representante de verdade que conheça o Nordeste. Eu não conheço o Complexo mais do que ninguém, mas conheço o suficiente para saber o que essa comunidade precisa para ser representada de verdade. A gente precisa dar um basta nos forasteiros. Aqueles que só vêm aqui porque precisam do voto da favela. Mas acreditem: eles não gostam de negro, eles não gostam de pobre, eles não gostam de favelado. Só pisam aqui atrás do seu voto”, completou.

COMPARTILHAR
Tiago Queiroz
Graduado em Comunicação/Jornalismo, e exerce as funções de Editor e Coordenador de Jornalismo do Portal NORDESTeuSOU