A política não é para amadores!

Após anos a na política, mais precisamente 28 como deputado, depois de passar por diversos partidos convivendo com o “velho” Congresso Nacional, eis que o Capitão [Corona] se lança aos braços do povo em uma disputa para o cargo de presidente da República, o cargo mais importante da nação, sob os argumentos de que é preciso acabar com a velha política, combater a corrupção e acabar com os petistas e os comunistas.

Falar é fácil, jogar para plateia melhor ainda, mas na hora da onça beber água … aí a coisa muda e muda de verdade. Bastaram alguns dias na presidência para as coisas começarem a mudar, a “rachadinha” apareceu, os imóveis, os empréstimos, os cheques na conta da esposa, o Queiroz tomou conta do sinal de interrogação e povo viu que não se tratava de nada de novo e o ditado popular nos saltava aos olhos “ os velhos lobos vestidos de cordeiro”

Durante o primeiro ano de [des]governo, constatou-se que o Capitão não tem a menor noção do cargo que ocupa e se comporta como um menino mimado que precisa chamar atenção. Veio a pandemia e a coisa degringolou de vez. O atleta passou a contrariar o mundo, cientistas, médicos e demitiu um ministro da Saúde para não aparecer mais que ele. É só uma gripezinha, o povo inteiro vai pegar e aí conseguiremos anticorpos, tudo resolvido.
Constatou-se que o Capitão passou 28 anos dentro do Congresso Nacional sem ter a menor noção da reponsabilidade da cadeira de presidente, sem ter noção da estrutura precária da saúde pública ou nem se importar em conhecer, a educação virou coisa de comunista, cientistas são comunistas, a ignorância deve ser exaltada.

Aos bolsoaristas o governo anda de vento em polpa, o Capitão é quem comanda e o resto é mi, mi mi. Eis que em meio a pandemia as crises se assolam, a usina de geração de conflitos, chamada de “gabinete do ódio”, trabalha a todo vapor a CPMI da Fake News deslancha, o primeiro filho cada vez mais na linha da polícia federal e o governo bate cabeça.

O nobre Capitão já não mais combate a velha política, o toma lá dá cá precisa ser feito e a velha política é necessário. Eis que surge Roberto Jefferson, quem não o conhece? Eis que surge Valdemar Costa Neto, quem não o Conhece? Muita coisa estar por vim, os bolsonaristas não ficarão surpresos, afinal melhor ter o Capitão juntos com tudo que eles sempre quiseram fora, que a possibilidade do PT voltar, afinal o que se busca realmente é a possibilidade de uma intervenção militar ou quiçá a anexação do Brasil como colónia dos Estados Unidos da América, upa! Que maravilha seria, acordarmos todos “brasilamericamos”.

Nos dias atuais não seremos americanos, seremos apenas uma economia arrasada, com pilha de corpos sendo amontoando, o povo passando fome, o Capitão se aliando a “velha” para sobreviver e aprendendo que era melhor ter ficado por mais 28 anos impercebido.

O cenário não é dos melhores, mas serve para ensinar a todos que política não é para amadores, vamos esperar os próximos capítulos.

COMPARTILHAR
Rodrigo Coelho
Advogado, Mestre em Estado, Governo e Políticas Públicas. Diretor executivo do @nordesteusou