Novembro negro no Nordeste de Amaralina: Projeto trabalha a autoestima de meninas negras

A primeira edição do projeto “Belezas Crespas” aconteceu na sexta e sábado (09 e 10/11), na rua São Raul, Nordeste de Amaralina

O projeto Belezas Crespas, idealizado pela historiadora Denise Santos e pela antropóloga Mai Meincke, tem como parceiros o fotógrafo Lipe Costa, a relações-públicas e produtora cultural Adriele do Carmo, o Hairstyle Samir Pereira e o maquiador Rômulo Souza.

O projeto tem o objetivo de fortalecer a autoestima das meninas negras do Nordeste de Amaralina e valorizar a estética do cabelo crespo. Esta primeira edição culminou em dois dias de atividades com meninas de 7 a 19 anos do Nordeste.

Na sexta, dia 09/11, as meninas participaram da oficina “Meu crespo, minha raiz”, onde aprenderam e falaram sobre o papel do  cabelo na vida das mulheres negras e a transformação dos padrões estéticos ao longo da história. No sábado, dia 10/11, participaram do ensaio fotográfico  “Beleza Crespas”,  em que as meninas foram fotografadas em ruas da comunidade.

Para Lipe Costa, fotógrafo e parceiro do projeto as meninas negras “São jovens,  sofrem preconceito, então é super importante dar visibilidade e revelar a beleza dessas meninas do Nordeste de Amaralina”.

Adriele do Carmo, relações-públicas parceira do projeto, fala sobre a importância desse tipo de iniciativa para a comunidade “Nordeste, Vale, Chapada, Santa Cruz são bairros de extrema potência cultural e criativa. Aqui tem muita gente fazendo muita coisa boa para nossa comunidade. Iniciativas como o Belezas Crespas só têm a melhorar a imagem e visibilidade positiva dos bairros e dos moradores”.

 

Texto: Assessoria de comunicação do projeto Belezas Crespas

COMPARTILHAR
Adriele do Carmo
Cria da santa Cruz, é poetisa, ativista social, relações públicas e produtora cultural