Motorista de aplicativo relata injúria racial em corrida em Salvador; assista

Após a discussão, a idosa se aproximou do rapaz e disse que “a cor dele era complicada"

Um motorista do aplicativo Uber, em Salvador, relatou ter sido vítima de injúria racial enquanto levava dois idosos na capital baiana. De acordo com o relato, a confusão começou após a mulher identificada como Marysa reclamar do trajeto da corrida. 

“Ela perguntou se apareceu no meu APP que a viagem era com parada. Eu falei que não, que só tinha um destino final em Patamares. Ela começou a resmungar dizendo que a Uber não presta e que não iria pegar mais. Eu informei a ela que não apareceu no APP a parada, mas ela poderia simplesmente abrir e adicionar, porém ela já respondeu grosseiramente dizendo que não iria adicionar nada e que eu iria fazer a corrida do jeito que ela mandasse e que era minha obrigação efetuar a corrida para o dois destinos. Eu expliquei novamente que não tinha como fazer isso, pois só constava um destino final no meu aplicativo, daí então ela começou a me insultar me chamando de grosseiro”, escreveu o motorista, que é apenas identificado como Felipe. 

Após a discussão, a idosa se aproximou do rapaz e disse que “a cor dele era complicada”. “Eu continuei pedindo a eles que se retirasse do veículo e não me respeitaram. Sendo assim, eu liguei a câmera do meu meu celular para filmar o ocorrido, como eles estavam sentados no banco de trás do veículo fiquei com medo de uma agressão física. Logo após isso eles se retiraram do veículo batendo a porta de maneira brusca, muito forte. Foi quando ela chegou do meu lado e alisou meu braço falando que ‘o problema era a minha corzinha, e que minha cor era problemática’. O acompanhante dela ainda estava me insultando, me chamando de idiota dizendo que eu iria pagar por isso, em tom de ameaça”.

O Metro1 entrou em contato com a assessoria da Uber, mas ainda não obteve resposta.

COMPARTILHAR
Redação NES
NORDESTeuSOU.com.br, o Portal do Nordeste de Amaralina que tem o Objetivo de desfazer o mito de que a comunidade do Nordeste de Amaralina é dominada pelo crime, divulgando ações de esporte, lazer e entretenimento dentro da comunidade bem como notícias externas que direta ou indiretamente.