Moradores do Nordeste de Amaralina falam sobre a Sexta-feira Santa.

Sexta-feira da Paixão ou Sexta-feira  é um feriado religioso comemorado pelos cristãos, simbolizando o dia da morte de Jesus Cristo, e faz parte das festividades da Páscoa, que simboliza a ressurreição do Messias.

A equipe do NORDESeuSOU bate um papo com alguns moradores da comunidade para saber como cada um aproveita o feriado. Confira:

Marlene Maria (Chapada do Rio Vermelho)

“Fico meses me planejando. Amo o dia, reúno todo  parentes de vários lugares, faço meu panelão de comida baiana, com muito dendê e é só alegria. Ah! Não pode faltar o famoso vinho e a gelada(risos)”, comenta.

 

Gustavo Jesus (Igreja Batista de Amaralina). 

“Deus nos amou de tal forma que deu seu filho unigênito, para que todos aqueles que nele acreditam, não pereça, mas tenha a avida eterna. João 3:16. Que nesses dias, venha-nos lembrar do amor de Deus e refletir : Qual pai que daria seu único filho  para morrer por: Prostitutas, drogados, assassinos, bandidos. Jesus morreu na cruz por nós. Ele nos ama incondicionalmente, então que possamos agradecer, e venhamos entender que Jesus não é religião, mas sim o maior exemplo de amor que o mundo já presenciou, Deus é o próprio amor. Na nossa comunidade realizamos uma peça de forma cantada, os cantores atuam e cantam ao mesmo tempo. Uma ótima sexta-feira  Santa para todos”,diz.

Mateus Mota (Omo Awo do Ilê Axé Ijino Ilu Orossi)

-“Em algumas casas de culto a Orisá no Brasil, é realizado um procedimento que denominamos (obrigação) de nome “Lorogun”, nesta cerimonia é realizado o fechamento d ciclo anual passado deste Ilê, onde antes é feita toda uma preparação nas casas dos orisás, antes do ritual são feitos osé nos igbás e são cobertos com alá branco em respeito a suspensão das atividades religiosas durante o período da Quaresma Católica, após alguns dias do cumprimento do ritual , na sexta- feira santa, os omó orisá desta casa reúne-se para o almoço junto ao Babalorisá\Iyalorisá, e assim no dias seguinte dar retorno as obrigações e festividades no terreiro.

Então, com fé e a entrega do nosso ori(cabeça) a ará(corpo), pedindo paz e bons fluidos após o retorno das atividades litúrgicas do Asé, pedindo a Osalufan e Osagian que nós dê equilíbrio e paz para iniciamos um novo ciclo, escolhendo sempre o caminho de orisá e seguindo juntos somando.

Desta forma que vivo esse momento da Semana Santa, desejo um dia especial e cheio de proteção para todos, explica.

 Maria de Lurdes (Vale das Pedrinhas)

“Acendo minhas velas, agradeço a Deus e peço proteção para todos, mas dedico o dia a preparação de um delicioso almoço, para reunir toda a família. Convido os parentes de longe, preparo o meu famoso caruru, vatapa, a moqueca, com bastante dendê, e não pode faltar o vinho e cerveja bem gelada, um momento dedica a confraternização”.

Ricardo de Jesus (Santa Cruz)

 “É um feriado maravilhoso. Não sou muito ligado a religião. Aproveito o dia para reunir os amigos e juntos fazer o tradicional baba de saia. Vira uma folia, grande diversão. Aproveitamos bastante e após tomamos nosso sagrado: vinho”, diz.

Alan Moreira (Testemunha de Jeova)

“Sigo com base as escrituras bíblicas. Juntos, celebramos a última refeição de Jesus com os apóstolos, do qual ele falou: “Que o pão sem fermento representava o corpo dele e o vinho o sangue, que seria derramado, e mandou com que fizéssemos isso sempre, em memória do sacrifício que ele fez por nós, que for dar a sua vida em favor de todos” (Lucas 22:19,20). Sigo  o que a Bíblia nos orienta, e o que Jesus mandou com que fizéssemos, era celebrar esse sacrifício, portanto os outros dias do restante da semana são dias comuns. Isso aconteceu no dia 14, que segundo o calendário Judaico, foi no dia 11 de Abril. Desejo que todos tenham um ótimo fim de semana e um bom feriado que possam curtir com responsabilidade e com convicção que Deus é nos ama, por completo”, ressalta.

COMPARTILHAR
Luis Lago
Amante da Literatura, apaixonado pelas Letras. Discente de Letras Vernáculas e Língua Inglesa, poeta, escritor , blogueiro, professor e Repórter do site NES.