Morador do Nordeste de Amaralina é a mais nova contratação do time de futebol digital do Vitória

Jogando contra os amigos do bairro, o jovem sempre se destacava a ponto dos colegas vetarem a sua participação quando a disputa envolvia dinheiro. “Diziam que seu participar não ia ter graça...”

No país do futebol, dez em cada dez garotos, ao menos uma vez na vida, sonhou em se tornar um jogador de futebol profissional. Com a evolução do vídeo games e o surgimento de jogos de futebol virtual, com simuladores que a cada dia mais se assemelham à vida real, muitos daqueles que viram seu sonho de ser jogador se tornar em frustação, acabam por vivenciar nos jogos de futebol virtual tudo aquilo que um dia ele almejou experimentar enquanto jogador profissional. Esse o caso de Ravel Pereira Santos, 26 anos, morador do final de linha do Nordeste de Amaralina e que hora integra o time de futebol digital do Esporte Clube Vitória.
“Sonhei em ser jogador quando era adolescente. Mas futebol ou vira profissional cedo ou já era”, explica Ravel que é torcedor do Vitória.   A paixão dele pelo vídeo game surgiu quando ainda era garoto, na época do Nintendo. “Comecei com o Nintendo. De lá para cá veio o Playstation 1, o Playstation 2, o Playstation 3 e agora o Playstation 4. Sempre focado no futebol”, ressalta. Jogando contra os amigos do bairro, o jovem sempre se destacava a ponto dos colegas vetarem a sua participação quando a disputa envolvia dinheiro. “Diziam que seu participar não ia ter graça…”, recorda. Pereira conta que já teve época de ganhar cerca de R$150 por semana jogando futebol virtual. “Não era sempre…Mas eu era solteiro, não tinha filho… Tinha mais tempo e mais foco”, conta o agora pai de um menino de um ano e seis meses.
De acordo com Ravel a coisa realmente começou a se tornar séria quando ele comprou o PS3 e começou a jogar online: “Fui entrando em grupos de campeonatos valendo premiações e fui ganhando campeonatos. Acabei comprando o PS4 com as premiações do PS3”. Em 2016, o jovem do Nordeste de Amaralina se tornou campeão baiano e em 2017 ficou com o vice-campeonato. O convite para integrar o time de futebol digital do rubro-negro baiano surgiu após se destacar tanto em torneios online, como presenciais. “Eu tinha apenas uma derrota e alguns empates. O resto só vitória. Um amigo que me acompanha há muito tempo acabou me indicando e eu acabei mostrando tudo que podia. Minha expectativa é representar o Vitória da melhor forma possível e ganhar títulos para a instituição, principalmente no campeonato brasileiro que vai acontecer em setembro, lá em Brasília. O campeão ganha um carro 0km. Até agora nenhum baiano conseguiu ganhar!”. Quem sabe você não seja o primeiro? Boa sorte, Ravel!

FUTEBOL DIGITAL – Não é de hoje que os games deixaram de ser coisa de criança. Hoje a Confederação Brasileira de Futebol Digital e Virtual (CBFDV) tem mais de 10 mil atletas federados e realiza por ano pelo menos 300 torneios. A premiação do campeonato brasileiro pode chegar até a U$$ 10 mil. A maioria dos grandes clubes do país já possuem times de futebol digital.

COMPARTILHAR
Tiago Queiroz
Graduado em Comunicação/Jornalismo, e exerce as funções de Editor e Coordenador de Jornalismo do Portal NORDESTeuSOU