Conheça a história do responsável por salvar a vida de 3 jovens na Praia de Amaralina.

O roteiro é parecido com a história de qualquer super-herói das telas do cinema.

Foto Reprodução

Era quinta ? feira, 14 de setembro de 2017, 14 horas.  José Roberto Lima, 28 anos, nascido e criado no Nordeste de Amaralina, mais precisamente na rua Reinaldo de Matos, seguia a normalmente a sua rotina. Almoçou, tomou banho e seguiu para o ponto para esperar o seu ônibus. O jovem estava a caminho do serviço. Trabalha numa cafeteria no bairro de Stella Mares como atendente.

?Eu estava indo para o meu trabalho como faço todos os dias. Ao chegar nas imediações do largo das baianas eu avistei cinco jovens se afogando, sendo que dois já tinham conseguido sair. Pedi ao motorista para abrir a porta do ônibus urgente. Foi por instinto mesmo. Desci correndo e consegui tirar dois da água. Quando fui em busca do terceiro infelizmente não tive êxito?, conta José muito emocionado. Pai de uma menina de um ano e sete meses, José Roberto se emociona ao lembrar de um dos garotos que fora salvo implorando pela vida do irmão: ?O irmão dele estava inconsolado. Ele veio atrás de mim falando: ? Ô vei, pega meu irmão, pega meu irmão… Pelo amor de Deus?.

O herói, assim considerado na concepção da palavra, não disfarça a frustação por não ter conseguido salvar a vida do garoto Reinaldo Lima. ?Eu fui atrás dele, mas não consegui…Tive que sair do mar, pois tinha acabado de almoçar e comecei a passar mal?, lamenta. Os últimos momentos de vida do jovem não saem da sua cabeça. Bastante emocionado José narra:  ?Fiquei a cerca de dois metros dele… Ele com a mão ainda para fora da água… Que cena horrível… Eu puder ver literalmente ele pedindo socorro… A cara dele de medo… Não vou conseguir esquecer nunca. Tentei… Estou triste por não ter conseguido salvar todos?.

?A vida é arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida?, já dizia o poeta Vinicius de Moraes. Desde os tempos de moleque quando frequentava a praia do bairro José alimentava o sonho de um dia se tornar salva-vidas. Há cerca dez anos José conversava com dois colegas que trabalhavam como salva-vidas particulares em hotéis da capital. Foi quando um dos rapazes o aconselhou a fazer um curso de salvamento aquático. ?Fiz o curso e fiquei na espera de abrir concurso público. Na época me perguntei o porquê de eu estar fazendo esse curso. As oportunidades eram poucas. Hoje eu entendo?, lembra.   O acontecimento fez renascer nele o sonho de garoto: ?Eu não vou desistir não. A esperança é a última que morre. Eu sinto dentro de mim que um dia vou me tornar salva-vidas?.

Herói? José Roberto dispensa o rótulo. Oriundo de família humilde, o jovem procura obedecer fielmente aos ensinamentos transmitidos dentro de casa. ?Minha mãe e minha avó me ensinaram que se você ver alguém no buraco estenda a mão para ela. Amar sem esperar nada em troca e sem olhar a quem. Vim de família humilde. Catei latinha para sobreviver, catei papelão. Comia bago de jaca quando não tinha o que comer. Quando nem isso tinha bebia água e ia dormir. Por isso não me rotulo como herói, apenas como um cidadão que ama o próximo. E se fosse eu? Como estaria minha mãe hoje??, explica emocionado.

O amor ao próximo e à vida são proporcionais à devoção e respeito que Roberto possui pelo mar e seus mistérios, como ele mesmo conta: ?O mar é bonito, mas é traiçoeiro. O mar é dócil, mas ao mesmo tempo é brabo. Até experientes pescadores já morreram no mar. Se um dia Deus me perguntasse onde eu queria morrer, eu responderia que queria morrer no mar. Sou apaixonado pelo mar. Às vezes quando estou estressado fico na beira mar, que é onde me sinto mais perto de Deus. Me sinto tão pequeno diante daquele mar grande…?.

Num instante de genialidade e precisão Nelson Mandela definiu bem personagens como José: ?(…) meus heróis não são necessariamente os homens e mulheres que possuem títulos, mas os homens e mulheres humildes que existem em todas as comunidades e que escolheram o mundo como palco de suas operações. Estes são meus heróis (…)?. Salve Mandela, Salve José.

COMPARTILHAR
Tiago Queiroz
Graduado em Comunicação/Jornalismo, e exerce as funções de Editor e Coordenador de Jornalismo do Portal NORDESTeuSOU