Jornalista do Nordeste de Amaralina Franciel Cruz lança livro de crônicas com muito humor e ironias

O evento, que acontece neste sábado (9), contará com as performances do DJ Barata e do músico e Mario Mu keka Cortizo

Misture numa mesma publicação política, futebol, cotidiano, humor, ironia e crônicas sobre a capital baiana. O resultado dessa mistura pode ser conferido no lançamento do livro Ingresia, do jornalista Franciel Cruz, que será realizado neste sábado (9).

Se o leitor mais curioso se perguntar: mas afinal o que é Ingresia? A palavra ingresia faz referência ao barulho, o alarido, a confusão que o autor promete causar no cortejo literário que acontece nesse horário preciso aos pés da estátua do caboclo na praça do Campo Grande em direção ao local do lançamento. Na oportunidade, a escritora e antropóloga Núbia Ben to Rodrigues também lançará a publicação infanto juvenil Sítio Caipora. O evento, definido pelo autor como uma chibanca literária, contará com as performances do DJ Barata e do músico e Mario Mu keka Cortizo.

Chibança Literária 
De acordo com Franciel, a ideia de publicar um livro surgiu de uma conversa informal com um amigo também jornalista, reunir as crônicas publicadas desde 2002.“Eu já tinha um blog com o mesmo nome do livro hospedado no site Pensador Selvagem. O problema é que eles deletaram os textos mais antigos e eu não mantinha esses textos guardados, então o primeiro trabalho foi recuperar esse material”, conta, ressaltando que inicialmente recuperou 160 crônicas e submeteu à avaliação do amigo que sugeriu a publicação. “Conseguimos selecionar 80 textos, então depois preparei mais dez outras crônicas com a lembrança que guardava daquelas publicações”, conta.

As 90 crônicas foram organizadas num roteiro afetivo onde o autor conta sobre a saída da cidade natal (Irecê, a 478 quilômetros de Salvador), as descobertas na capital, especialmente nas festas de largo e no Carnaval, além de abordar o cotidiano das viagens de ônibus e um pouco sobre a paixão pelo futebol. “Me detive pouco a falar sobre o futebol porque ele será tema de um outro projeto”, segreda. Nas pouco mais de duzentos e cinquenta páginas do livro, quase nada escapa à reflexão do jornalista, que faz  homenagens a ícones culturais, como os artistas Elomar, Luiz Gonzaga, Gilberto Gil e Lazzo Matumbi.

Para garantir a publicação da obra, o jornalista decidiu seguir os conselhos do amigo publicitário Ricardo Cury e promoveu a vaquinha virtual. “Esperava conseguir vender uns cem exemplares, no máximo…Em 45 dias, já tínhamos comercializado 400 exemplares”, diz, ressaltando que o aumento na tiragem e a “forcinha” dos amigos mostraram que o lançamento exigiria algo um tanto mais organizado. “Por meros 30 dinheiros dá para levar o livro”, graceja, prometendo um show especial para quem for ao lançamento.

Sem afagos
Ingrisia conta com um posfácio póstumo do crítico de cinema André Setaro e é apresentada pelo também jornalista Claudio Leal, para quem Franciel é descrito como  “um narrador empurrando as portas do mundo, (…) com sua verve sertaneja, exuberante nas provocações (…) num fluxo magnético de histórias”. Já a orelha da obra é da pena do escritor Xico Sá. Para Setaro, “a sua pena é da galhofa, da ironia, exercitando sempre no que diz e no que fala, o seu pessoal sentido de ironia, de ver as coisas da vida com peculiar humor”. Torcedor do Vitória, o jornalista acumula, ainda, publicações que vêm renovando a crônica esportiva do Estado, através do site “Vitoria Quae Sera Tamen”.

O “repórter de perguntas sem afagos”, como é descrito na apresentação, é formado desde 1995, pela Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia. A vida profissional o fez passar pelos jornais Tribuna da Bahia e no extinto Bahia Hoje. Foi organizador das crônicas do falecido comentarista esportivo Armando Oliveira – em conjunto com Olivia Soares, Claudio Leal e Wolney Sampaio – e colaborador de diversos jornais e revistas, o autor é servidor da Assembleia Legislativa da Bahia.

COMPARTILHAR
Redação NES
NORDESTeuSOU.com.br, o Portal do Nordeste de Amaralina que tem o Objetivo de desfazer o mito de que a comunidade do Nordeste de Amaralina é dominada pelo crime, divulgando ações de esporte, lazer e entretenimento dentro da comunidade bem como notícias externas que direta ou indiretamente.