Camarote para Festival da Virada em Salvador sai a partir de R$ 140

Terça, 05 Dezembro 2017 12:33

Serão 70h de música na Boca do Rio; rede hoteleira prevê ocupação acima de 95%

Quem estava cogitando ir para o Festival da Virada em Salvador já pode se planejar melhor para os dias de comemoração, na orla da Boca do Rio: isso porque a grade completa da festa foi divulgada nesta segunda-feira (4). Com divisão por noite e definição de horários, o Réveillon promovido pela Prefeitura conta com 70 horas de música e 29 atrações no palco principal. Seis delas são inéditas e foram divulgadas em coletiva convocada pelo prefeito ACM Neto e o presidente da Empresa Salvador Turismo (Saltur), Isaac Edington: Pablo Vittar, Carlinhos Brown e Timbalada, Mariene de Castro, Gusttavo Lima, Jota Quest e Olodum.

Nos cinco dias de festa, que começam no dia 28 de dezembro e vão até o dia 1º de janeiro, os portões estarão abertos às 16h. Mesmo gratuito, também há opções para quem quiser curtir a festa de camarote, pagando a partir de R$ 140 (ver abaixo). Neste ano, o Réveillon será realizado ao lado de onde era o antigo Aeroclube e futuro Centro de Convenções municipal, e deve ajudar os hotéis da cidade a, praticamente, atingir a ocupação máxima (ver abaixo).

Os grupos Malê Debalê, Muzenza, Cortejo Afro, Ilê Aiyê e Filhos de Gandhy foram os escolhidos para iniciar a programação dos dias, com cortejos que irão desfilar no chão, ao longo do espaço. Às 18h30 os grupos de música, que vão desde o sertanejo de Marília Mendonça até o pop com Pabllo Vittar, assumem o palco. Cada show irá durar, em média, 1h30.

A virada ficou por conta de Ivete Sangalo, que mesmo grávida de gêmeas irá comandar o palco na madrugada do dia 31 para o dia 1º. "Não há no Brasil evento de virada de ano tão completo, diverso e atrativo. Nós temos as principais atrações, e focamos em harmonizar diferentes ritmos. Temos um pouco de tudo", disse ACM Neto.

O público esperado é de 700 mil pessoas na noite da virada e 500 mil nas demais. O acréscimo no número de pessoas foi o que motivou a mudança da Praça Visconde de Cairu, no Comércio, para a Boca do Rio. Dois portais serão montados no local: um localizado em frente ao posto de gasolina da região e antes da antiga sede de praia do Esporte Clube Bahia, e outro na orla, próximo ao antigo Aeroclube. De acordo com o prefeito ACM Neto, todas as pessoas passarão por revistas rigorosas nas entradas. São R$ 12 milhões de investimento para promover a festa. A expectativa da Prefeitura é ter pelo menos metade custeada pela iniciativa privada e parceiros.

“Nossa expectativa é de ter o maior Verão e Réveillon de todos os tempos em Salvador. É muito importante esse trabalho que estamos fazendo de venda do destino e de divulgação da cidade para outros estados. Nós sentimos que a crise está indo embora e Salvador está começando a receber mais turistas. Esperamos que a cidade tenha a vinda de turistas não só no Réveillon, mas em todo o Verão”, declarou Isaac Edington.

Infraestrutura e camarotes
A Arena Cidade da Música, que recebe o nome de Arena Daniela Mercury durante os dias de festa, conta com 55 mil m². Além das 70 horas de música, o Festival da Virada também contará com uma roda gigante com luzes de LED de 36 metros de altura, que tem capacidade para receber 140 pessoas por vez; 800 m² de palco principal também coberto com iluminação em LED; além de outras atividades como a feira de economia criativa, espaço kids, vila gastronômica e atividades esportivas, além de um segundo palco, montado no anfiteatro do Parque dos Ventos.

Toda a área será fechada e terá duas entradas com detector de metal e revista. Além da parte gratuita, que será aberta para o público, dois camarotes foram concedidos pela Prefeitura para uma empresa. 

Um dos camarotes já está à venda por R$ 140 (mais 10% de taxa de administração da empresa), entre os dias 28 e 30 de janeiro. Na virada, o preço sobe para R$ 500 (mais 10% de taxa) com bebida e comida inclusos. O segundo camarote ainda não foi anunciado.

Pelo menos 1.000 vagas de estacionamento serão criadas entre o espaço que o Réveillon será realizado - a Arena Cidade da Música - e o antigo Aeroclube. A ideia é manter tanto a arena como um espaço novo de eventos, quanto o estacionamento para o local e para o novo Centro de Convenções da cidade. “O espaço tem tudo para se transformar no principal de eventos da cidade. Ainda poderá se transformar em uma fonte de receita nova para a Prefeitura, com permissões de uso mediante contrapartida para o município”, disse Neto.

As ações de segurança e mobilidade que serão implantados pela Prefeitura ainda não foram divulgadas, mas eles prometem fazer “um esquema de serviços” para atender à população.

 

Fonte: Correio24horas





Developed by Saulo Moura