Homem invade bar LGBT, tenta matar dona e agride clientes e artistas em Salvador

Por Correio24horas – Me Salte

A noite que seria de alegria por pouco não termina em tragédia no Espaço Cultural Caras & Bocas, voltado para o público LGBTQIA+ na Rua Carlos Gomes, em Salvador. Na madrugada deste domingo (01) um homem invadiu o espaço, destruiu o bar e agrediu as pessoas. Na sequência, ele ainda tentou invadir o bar Âncora do Marujo, também voltado para o público LGBTQIA+ na mesma rua, onde também entrou em vias de fato com artistas e clientes.

A confusão começou dentro de um ônibus que fazia linha para a Barra na altura da Calçada onde o veículo foi rendido pelo agressor que obrigou o motorista a parar o veículo na frente ao bar. Ele entrou no espaço e começou a destruir mesas, cadeiras e estruturas. A drag queen Valerie O’rarah, que se apresentava no momento do ataque, foi agredida pelo homem.

Instantes depois uma das proprietárias do bar, Alexsandra Leitte, foi feita refém pelo agressor. “Ele pegou minha esposa pelo cabelo e começou a dizer que ia matar ela. Ele arrastou ela pelos cabelos pela escada abaixo e jogou ela na frente do ônibus. A sorte foi que o ônibus parou. Conseguimos parar uma viatura e ele tentou entrar no Âncora do Marujo”, relatou ao Me Salte a empresária Rosy Silva, também proprietária do bar.

O caso foi registrado na Central de Flagrantes, no Iguatemi, para onde o homem identificado como Sinho Macedo foi levado. Até às 7h30 deste domingo (1º) a ocorrência ainda não havia sido finalizada e não havia informações se o homem ficou preso.

“Ele deu uma pedrada na cara de uma pessoa LGBT que estava no ônibus e também jogou pedras em um carro de uma mulher LGBT que é motorista de carro por aplicativo. É muito triste isso especialmente porque temos a informação de que ele é um homem gay. Ele ficava gritando dizendo que iria matar todos os ‘viados e sapatões’”, destacou Rosy.

COMPARTILHAR
Redação NES
NORDESTeuSOU.com.br, o Portal do Nordeste de Amaralina que tem o Objetivo de desfazer o mito de que a comunidade do Nordeste de Amaralina é dominada pelo crime, divulgando ações de esporte, lazer e entretenimento dentro da comunidade bem como notícias externas que direta ou indiretamente.