Estudantes do Colégio Estadual Manoel Devoto acusam PM de agressão durante gincana; diretor teria sido conivente

Tumulto teria começado por causa de um grupo de alunos

Uma gincana realizada no Colégio Estadual Manoel Devoto na tarde da última sexta-feira (24) terminou em uma tremenda confusão, inclusive com a presença da Polícia Militar. Uma funcionária da unidade que preferiu não se identificar relatou que o tumulto teria começado por causa de um grupo de alunos que estavam insatisfeitos com o resultado da competição. Durante a confusão, a Polícia Militar foi acionada. Relato de agressões por parte dos PMs foram feitos por funcionários e alunos. Mães, familiares e amigos dos estudantes agredidos estariam organizando uma manifestação.

A fonte ligada ao PNotícias acusa a direção da escola como responsável pela entrada da polícia na unidade, além de ter se omitido durante os supostos excessos cometidos pelos PMs. “A confusão foi iniciada pelos alunos. A vice-diretora já estava resolvendo a situação quando chegou a Polícia Militar. Uma funcionária também foi agredida por tomar à frente dos alunos que estavam apanhando. O diretor ficou em sua sala sem intervir em nada e os alunos estão acusando-o de ter chamado a polícia. Fiquei muito preocupada sobre a intervenção da polícia em um estabelecido escolar. E a posição que o diretor tomou em se isentar de sua responsabilidade com a integridade física da comunidade escolar”, relata uma funcionária.

Um aluno, que também preferiu manter sua identidade em sigilo salientou o “despreparo” dos policiais e reiterou as denúncias de violência praticada pelos mesmos: “A Ronda Escolar foi convocada pelo diretor. Quando a polícia entrou para intervir na confusão acabou perdendo o controle. Teve agressão sim. Os policiais eram completamente despreparados. Não se foi verdade, mas ouvi dizer que um menino tomou um tapa na cara de um policial. O diretor simplesmente sumiu. Todo mundo apanhando e ele na sala dele sentado no ar condicionado”.

“Durante a confusão eu subi no palco e fui repreendido por um dos organizadores. A polícia viu e mandou que eu descesse. Começaram a me puxar e me empurrar, inclusive feriram meu braço. Chegou um por trás e deu um tapa no meu ouvido. Quando olhei para trás vi o diretor de braços cruzados olhando. Logo depois chegou a Rondesp, que chegou dando murro e chute. Teve um aluno que apanhou com um objeto. E nisso o diretor foi para sala tomar café. Vamos protestar contra a incompetência do diretor”, relatou um aluno.
A reportagem do PNotícias entrou em contato com a diretor do Manoel Devoto, Everaldo Duarte, que negou a informação e atribuiu a presença dos policiais à Ronda Escolar, que, segundo ele, por coincidência passava pelo local.

Em resposta ao PNotícias, a secretaria estadual de saúde esclareceu:
”Houve desentendimento entre os estudantes após anúncio da equipe vencedora da Gincana Escolar. Policiais da Ronda Escolar, que já estavam presentes no colégio, atuaram imediatamente na contenção do tumulto.  Foi convocada reunião com representantes do Colegiado Escolar para definição das medidas educativas que serão adotadas”.

A Polícia Militae foi procurada para comentar o assunto, mas não obtivemos resposta até a publicação desta matéria.

COMPARTILHAR
Tiago Queiroz
Graduado em Comunicação/Jornalismo, e exerce as funções de Editor e Coordenador de Jornalismo do Portal NORDESTeuSOU