[Eleições 2018] Nordeste de Amaralina dá show de democracia

Os milhares de eleitores do complexo fizeram valer o exercício da cidadania

E o Nordeste de Amaralina mais uma vez foi palco da democracia. Os milhares de eleitores do complexo fizeram valer o exercício da cidadania. De ponta a ponta do bairro o que se via era uma verdadeira confraternização entre os eleitores. Após o voto é de lei encontrar a turma e tomar aquela cerveja gelada.  Pouco importa quem foi o seu candidato. A ideia é aproveitar para e se divertir. Eleição no Nordeste de Amaralina é marcada, sobretudo, pelo respeito.

As ruas foram tomadas pelos santinhos. As chamadas “lideranças” arrastavam sua equipe em busca de voto. “Oi minha linda, você já votou? Já tem candidato? Posso te pedir um voto para o meu candidato?”, dizia um rapaz para um linda moça que passava no Beco da Cultura. “É tudo 13, meu filho!”, bradou uma senhora que se dirigia ao Carlos Santana. “É Bolsonaro na cabeça!”, respondeu um senhor que tomava uma gelada com militantes petistas. Temos que destacar o trabalho de Aline e Gilvan, verdadeiros multiplicadores de voto.

Não podemos deixar de falar sobre os guerreiros que aproveitaram o “movimento” para ganhar um dinheirinho extra, seja fazendo boca de urna, botando o isopor para vender bebida, churrasquinho, salgados ou o tradicional tabuleiro de acarajé e o prato de feijoada. O negativo ficou por conta das longas filas devido à problemas na biometria. Teve gente que perdeu a paciência e saiu sem votar. A PM também agiu forte contra a boca de urna. Foram muitos os casos daqueles que tiveram o material de campanha apreendido. Apesar dos pesares, o saldo foi extremamente positivo. No Nordeste de Amaralina o que vale, de fato, é a democracia.

COMPARTILHAR
Tiago Queiroz
Graduado em Comunicação/Jornalismo, e exerce as funções de Editor e Coordenador de Jornalismo do Portal NORDESTeuSOU