Dentista presa em padaria da Pituba por se negar a ser atendida por negros alega transtorno mental

Segunda o Tribunal de Justiça da Bahia , a mulher foi solta por não ter antecedentes criminais e ser ré primária.

Heloisa Onaga Kawachiya foi flagrada cometendo crime de injúria racial neste sábado (6), na padaria Bonjour, na Rua São Paulo, na Pituba, em Salvador, segundo informações de funcionários ao Varela Notícias , ela humilhava funcionários negros do estabelecimento há meses.

Paulo Sergio , gerente do local, chamou a polícia após um cliente presenciar a situação e  confrontar a mulher. Ela foi presa em flagrante por injúria racial e por  desacatar o  sargento comandante da guarnição do Pelotão de Emprego Tático Operacional (Peto) da unidade. De acordo com a PM, ela foi apresentada na Central de Flagrantes, onde a ocorrência foi feita  e foi solta no domingo.

Segunda o Tribunal de Justiça da Bahia , a mulher foi solta por não ter antecedentes criminais e ser ré primária. A defesa da acusada alega que ela possui transtorno mental de natureza incurável , o laudo deve ser entregue num prazo de 60 dias .

Heloisa atende num consultório odontológico localizado na Av . ACM, Itaigara.

Segundo os funcionários, Heloisa não aceitava ser atendida por pessoas de pele negra, quando um negro ia atendê – la, era ignorado.

Em nota, a Bonjour informou que a cliente exigiu não ser atendida no bufê por funcionários negros. Clientes que estavam no local defenderam os funcionários negros. Ainda em nota, a padaria repudiou o ato racista da cliente. “Reforçamos nossa extrema ojeriza a qualquer tipo de atitude preconceituosa. Há mais de 10 anos, desde a sua inauguração, que o staff da Bonjour é formado, em sua grande maioria, de trabalhadores negros – dos quais a Bonjour tem muito orgulho em tê-los em sua equipe. Repudiamos a atitude e esperamos que a mesma não se repita: seja ela em qualquer outra circunstância”, diz o comunicado.

COMPARTILHAR