[Comunicado] Ausência de dados oficiais, fake news e resistência das famílias são entraves para cobertura do Nordesteusou durante pandemia

A pandemia do novo coronavírus surpreendeu a tudo e todos. O mundo virou de cabeça para baixo. Como diz a música de Raul Seixas, “o dia em que a terra parou”. A doença acabou também por expor diversas fragilidades da nossa sociedade: da espécie humana e sua reação as vezes egoísta no momento de crise; dos líderes mundiais e o investimento ineficaz na ciência; do sistema de saúde, despreparado e carente de recursos, dentre outros.

No caso do Nordesteusou (NES), nos vimos diante de um novo desafio. Ansiosos em cumprir o nosso papel de levar à comunidade a informação correta e precisa acabamos por esbarrar por novas dificuldades, imposta por essa nova situação. O coronavírus, assim como acontece em todo mundo, chegou com força em nossa comunidade. Os casos se multiplicam em uma velocidade que desafia à nossa capacidade em poder acompanha-los. Está evidente que as secretarias municipal e estadual de Saúde não conseguem seguir no mesmo ritmo da taxa de contágio. Os dados chegam espaçados e defasados. Para aumentar os nossos problemas a indústria da Fake News segue a todo vapor fabricando diariamente novos casos e mortos no Complexo Nordeste de Amaralina.

Fulano, que mora em tal rua, estava internado desde tal dia e morreu de Covid. Diz uma mensagem que circula no Whats App. Não demora e outro interlocutor desmente a notícia e diz que a vítima está viva, em casa e passa bem. Assim tem acontecido. Quando não, a própria família desmente e por mais que as evidências mostrem que o ente querido foi vitimado pelo Coronavírus, o receio do preconceito os motiva a negar. A falta de dados oficiais acaba por limitar o nosso poder de ação.

Comunidade – Somos nascidos e criados na região do Nordeste de Amaralina. Todos os colaboradores do NES possuem raízes com o bairro. O que em outras situações era um facilitador, em tempos de pandemia acaba se tornando em mais um entrave. Os moradores que caem vítimas do Covid-19 não são desconhecidos, direta ou indiretamente estão relacionados com um amigo, parente ou até com a gente mesmo. Não está sendo fácil para ninguém.

Queremos através dessas linhas pedir o apoio de todos. Vocês que ao longo desses 9 anos ajudou a nos tornar “o portal que é cara do Nordeste de Amaralina”. Fique em casa. Vai passar e amanhã há de ser outro dia…