[SINTONIA DE AMOR]” Não mereço passar por isso, estou com meu coração partido…”

No episódio de hoje conheceremos a história de amor vivida pelo Maurício.

“Olá, meninos. Eu sou Mauricio e preciso do conselho de vocês. Vim de uma família evangélica, nascido e criado na igreja. Estava, eu pleno, cultuando, quando de repente surge um jovem diferente no meio do culto. Ele era bem bonito, não sabia eu que aquele jovem iria fazer parte da nossa congregação. No fim do culto o pastor reúne os jovens para anunciar que teríamos um novo integrante no grupo e nos apresentou Leandro. Ele todo tímido fez sua apresentação, nos cumprimentamos e fomos embora. No decorrer dos dias Leandro foi se soltando e ganhando intimidade com o todos.

Eu tinha um melhor amigo, o Jhonatas. Ele havia pegado ranço do Leandro, por ele ser bem espalhafatoso. Ele tinha uma risada muito escandalosa, que chamava muito atenção. Léo, por ser reservado, detestava isso nele, pois todo mundo ao nosso redor voltava os olhares para nós. Aos poucos Leandro foi se aproximando de mim, fomos ganhando intimidades, até que me tornei o melhor amigo dele. Isso foi motivo para a guerra começar, porque meu melhor amigo o odiava e ele também não gostava do meu melhor amigo, tinha que me dividir a todo momento para dar atenção aos dois.

Jhonatas sempre desconfiou que o Leandro era gay, eu dizia: “Que nada, você está vendo coisa onde não tem”.
Eu sempre soube da minha orientação sexual, mas sempre reprimi por vim de família evangélica, que prega a favor da “família tradicional brasileira”. Jhonatas a todo tempo tentando me alertar que Leandro era gay, eu sempre ficava contra ele dizendo que o ranço dele já estava exagerando, mas não era porque eu não acreditava e sim porque eu já estava envolvido, estava gamado no Leandro.

Eu e Leandro éramos praticamente um casal que não se beijava. Tudo que um casal tinha a gente tinha. Parecíamos um casal em início de namoro, passávamos horas conversando no celular, brigávamos por ciúmes e o tempo todo falávamos coisas carinhosas um para o outro. Tínhamos até esquecido que a nossa religião não permite esse tipo de relação.

Tínhamos um amigo também da igreja e todas as tardes íamos para casa dele resenhar e foi em uma dessas tardes que aconteceu o tão sonhado beijo. Foi meu primeiro beijo gay. A gente manteve essa relação por seis meses ainda dentro da igreja, até que ambos resolveram sair da igreja e continuar ficando, mas sempre nas escondidas até porque nas nossas cabeças as nossas famílias não nos apoiariam.

Tudo caminhava  bem, quando do nada Leandro surta, pára de falar comigo e me bloqueia das redes sociais. Tentei conversar várias vezes, saber o que aconteceu, mas ele não quis. Alguns amigos vinham conversar comigo acerca das coisas absurdas que ele estava falando ao meu respeito. Jhonatas que já não gostava dele e nunca apoiou nosso relacionamento começou a odiar ele ainda mais e começou a falar que havia me avisado que ele não prestava.

Hoje ambos são assumidos e suas famílias com quem tanto nos preocupamos receberam a notícia super bem. Eu sinto saudades do Leandro, mas ao mesmo tempo eu sinto raiva. E aí meninos, devo tentar conversar com ele mais uma vez ou devo seguir em frente e esquecer?

Matheus Santiago- Olá, Maurício. Acho sempre bom tentar resolver as coisas no diálogo, aconselho você a tentar conversar com ele mais uma vez, caso ele se recuse você siga em frente e no momento certo você encontrará um outro amor. Obrigado por dividir sua história conosco e boa sorte!

Luis Lago- Situação tensa. O diálogo ainda é a melhor saída. Nesse momento vocês se encontram com os ânimos exaltados, deixa a poeira abaixar. O melhor a se fazer é permitir que o  tempo passe, pelo menos por enquanto, e daqui uns dias, deixem o orgulho de lado e conversem, expondo os fatos, e juntos trilhar um caminho de harmonia.

Não perca tempo, conte sua história para gente, e até semana que vem.

COMPARTILHAR
Matheus Santiago
Graduando em Comunicação/Jornalismo, e exerce a função de Jornalista do Portal NORDESTeuSOU