[SINTONIA DE AMOR] “Entramos em uma sala vazia e nos beijamos pela primeira vez. Fiquei até sem fôlego…”

Conheça a história de amor de Filipe e Ingrid.

Olá, galera. Me chamo Filipe e vou contar a minha historia com a Ingrid. No dia 24 de abril de 2014, na cantina do Colégio Manuel Devoto, foi o inicio de tudo, o interessante que nos conhecemos um dia depois do meu aniversário. Conhece-la  foi um presente que Deus me deu naquele dia. Tenho um amigo que mora perto de mim e nesse dia eu pedi para ele me esperar para irmos embora juntos. Ele ficou me esperando na cantina do colégio, enquanto isso ele conversava com a Ingrid e as amigas dela. Assim que minha aula acabou fui encontrar com ele, chegando ao seu encontro, ele me apresenta Ingrid e as amigas dela. Sentamos na cantina e começamos a conversar sobre muitas coisas, foi uma ótima resenha, parecia que nos conhecíamos há anos. Depois de muita prosa a amiga de Ingrid apareceu e fomos embora. Depois desse dia não nos desgrudamos mais. Percebemos que tínhamos muitas coisas em comum, e afinidades.

Sempre nos intervalo sentávamos todos juntos próximo ao bebedouro e assim comecei a me interessar por ela.

Eu adorava a forma em que ela sorria das besteiras que eu falava, de como ela gostava de sentar perto de mim e ela tinha o abraço mais gostoso que eu senti na vida. Eu acabei criando um sentimento por ela e um dia qualquer comentei com meus amigos que ficaria com ela (nunca conte isso para os seus amigos. Risos), foi eu dizer isso e eles falarem: “mano, você vai ficar com ela hoje”. Depois do intervalo ficamos conversando no pátio e foi quando um amigo  se levantou, chamou Ingrid e disse: “olha dentro dos meus olhos, nas bolas dos meus olhos, você quer ficar com o pivete? Você quer ficar com o meu pivete? Diga que você quer ficar com o pivete. Ingrid olhou para as amigas dela e elas responderam: vai logo, Ingrid. Você não sabe que ele é a tampa da sua panela?”.

 Eu no momento estava morrendo de vergonha, querendo enfiar minha cara no chão. Daí entramos em uma sala vazia e nos beijamos pela primeira vez, fiquei até sem fôlego e isso foi resenha duarante meses. Começamos a ficar com frequência e o sentimento que eu tinha estava aumentando a cada dia. Passávamos horas conversando no telefone. O laço só aumentava. As amigas dela questionava a demora de realizar o tão aguardado pedido. Passei a viver um sonho ao seu lado. Minha vida tomou uma nova proporção, tudo ficou mais lindo e especial.

Me encorajei e no dia No dia 18 de dezembro de 2014 falei para Ingrid que tinha algo para falar, a ela e assim quando ela chegou levei ela para o meu quarto, fechei a porta, sentei com ela na cama segurando as suas mãos, olhei para os olhos dela e falei: “Eu já estou gostando de você há um tempo e nunca senti isso por nenhuma outra menina, estou apaixonado por você e quero uma chance para mostrar que o que sinto por você é verdadeiro, que posso te fazer feliz como ninguém jamais fez, Ingrid Daiane quer namorar comigo?” Ela olhou em meus olhos e disse… Não.

Na hora eu tomei um susto abaixei a cabeça e pensei essa menina estragou o meu pedido, logo depois ela deu risada me chamou e falou:”Sim!”. É claro que eu quero namorar com você. Eu falei: “Não me dá um susto desses pelo amor de Deus. Ela me abraçou e nos beijamos. Foi assim que começamos essa união maravilhosa. Eu tenho certeza que ela é um presente de Deus na minha vida, pois  nos conhecemos  quando éramos criança, estudávamos na mesma escola, ela tinha cinco e eu quatro anos e nessa época ela já me achava lindo, também fizemos catequese na mesma igreja, acredito que não foi coincidência estamos juntos.

Passamos por muitas dificuldades que vários casais passam ao longo da relação, mas o mais difícil foi o meu acidente, percebemos que diante das dificuldades que sabemos quem realmente nos amam, e faz presentes. Três dias antes do acidente eu e Ingrid brigamos por algo que não me recordo, mas no dia seguinte do briga planejei o pedido de desculpas, comprei um buquê para ela, vesti a minha melhor roupa e fui na casa dela, estava disposto a externar tudo o que sentia. Fizemos as pazes.

No dia seguinte uma noite de quarta feira dia 31 de agosto de 2016 fui na casa dela a noite como costumava fazer todos os dias. Quando cheguei lá ela estava com uma amiga nossa e ficamos conversando um bom tempo, ficou um pouco tarde e resolvemos ir para casa, ela me deu uma rosa do buquê que havia dado a ela, eu fiquei feliz aceitei e dei um abraço bem forte nela, disse a ela que a amava e fui para casa. Ao chegar na praça do Ellite no final de linha da Santa Cruz a tragédia aconteceu.

 A Praça estava vazia e achei estranho, mas tudo aconteceu muito rápido e quando percebi já estava no meio da confusão, foi então que ocorreu um disparo em minha direção, fui atingido e caí no chão, os policiais vieram me prestar socorro. O que mais me doeu naquela noite foi ter pegado o celular para ligar pra minha casa e quando minha mãe atendeu tive que falar a ela que havia sido baleado, que estava caído no chão. Ela pensou que era algum tipo de brincadeira, mas logo percebeu que era sério, largou o telefone e foi correndo com meu tio.

 Eu estava deitado no chão e o sangue escorrendo pelo meu corpo, senti que naquele momento a minha vida estava prestes a acabar. No misto de emoções,  pensei em todas as pessoas que eu amava e que me amavam também, isso me deu forças para não me entregar aquela situação. A minha vida  passava pela a minha cabeça como se fosse um filme, em meio a muita dor, minhas pernas formigava  e perdia o movimento. Era meu fim.

 Quando a minha mãe me viu naquele estado entrou em desespero e meu tio foi correndo avisar a Ingrid o que tinha acontecido. Logo após, Ingrid e minha sogra chegaram e ficaram desesperada, eu não consegui acreditar no que estava acontecendo, nunca tinha visto as pessoas que amo daquele jeito, aquela cena partiu meu coração e até hoje não consigo apagar.

 A ambulância chegou rápido, fui ao hospital com Ingrid e minha mãe, naquele momento eu não conseguia imaginar o que aconteceria comigo, só conseguia pensar que no meio daquele caos não seria nada grave e que ficaria bem em poucos dias.Ela me confortava. Mostrou-se presente a todo instante.

 Fiquei internado no hospital durante quatro dias e os dois primeiros dias a única pessoa que podia me visitar era minha mãe, fiquei em uma sala cercado de pessoas que nunca tinha visto e naquele momento eu só queria a presença das pessoas que eu amo. Quando consegui ver Ingrid pela primeira vez foi após essas 48hrs que pareciam uma eternidade, fiquei tão feliz que só fazia sorrir e chorar, tivemos uma hora de conversa e no dia que ela iria ficar comigo no hospital acabei tendo alta.

 Quando cheguei em casa, recebi meus amigos e foi incrível. Senti que amizade é uma coisa muito especial em nossas vidas. No hospital meus amigos não podiam entrar para me ver, então escreveram cartas para mim e alguns deles foram lá apenas para tentar alegrar Ingrid, o que foi muito importante pra ela naquele momento.

Ter Ingrid comigo em todos os momentos após o trauma foi essencial, porquê eu conheci uma nova pessoa nela, que tirava forças de onde não tinha para me ajudar a passar por tudo aquilo, ela aprendeu a fazer todos os exercícios que me ensinaram me obrigava a fazer todo santo dia, naquele momento eu era totalmente dependente dela e ela conseguiu me dar forças em tudo que eu precisava. Essa situação durou 4 meses e nesse período eu comecei a recuperar um pouco do movimento da minha perna direita. Deus me deu o livramento. Quase fiquei sem andar. A vida é um sopro, e diante desse dilema, percebo que são os verdadeiros, e que me amam. E a Ingrid, foi o meu alicerce. Só grato a Deus por tudo, e principalmente por coloca-la no meu caminho. Relacionamentos pares festas, bebidas, e curtição, existem varias, mas para estar ao seu lado no momento da dor, das lagrimas, de impulsionar seu alto estima, querer o seu bem, são raros. Essa é a lição que levo da vida: Valorize quem te amar e prova isso diariamente.

Jaqueline Oliveira–  Oownt que linda a história de amor de vocês. Tô emocionada real. Caiu até um cisco em meu olho. Quando a Bíblia fiz que o amor tudo suporta eu creio que refere-se as adversidades da vida. E o amor de vocês é forte. Enfim, que Deus abençoe os dois e que vocês continuem regando esse amor para que ele siga para a eternidade.

Luis Lago– Nossa.. Impactado. Obrigado por compartilhar essa história inspiradora. Um exemplo de casal raiz. Acredito que uma relação parte do principio do alicerce um para com o outro, e nos momentos de dificuldades que conhecemos os verdadeiros, não existe provar maior de amor que essa. Parceria é tudo. Mostraram que apesar das adversidades o amor venceu.

COMPARTILHAR
Tiago Queiroz
Graduado em Comunicação/Jornalismo, e exerce as funções de Editor e Coordenador de Jornalismo do Portal NORDESTeuSOU