Artista dispara contra coordenação do carnaval do Nordeste de Amaralina

Músico se diz desrespeitado pela organização da festa

Mais um dos prejudicados com os problemas de atraso no Circuito Mestre Bimba, o músico Fábio Nollasko resolveu disparar contra as entidades que coordenam o carnaval do Nordeste de Amaralina. Nollasko desfilaria na quinta-feira (28) à frente do bloco Colar de Concha, o que acabou não acontecendo. O artista revela que na ocasião foi informado de que o horário já havia sido extrapolado e que por isso não poderia sair. “Pelo menos foi isso que me falaram”, explica Nollasko. Autor de diversos hits de sucesso da música baiana, como “Bate Lata”, eleita música do carnaval de 2000 na voz de Gilmelândia, Fábio se diz chateado e lamenta o ocorrido: “Nós tínhamos convidados do cacife de Tatau e Negra Jhô que uma personalidade muito conhecida, minha amiga particular a nigeriana Okwei Odili, tínhamos um apoio no valor de 20 mil reais da operadora Tim e não nos permitiram desfilar. Um artista do bairro que tem músicas gravadas por vários artistas baianos não pode mostrar para seu povo a sua música. Acho um absurdo, uma falta de respeito com um artista que tem um repertório de qualidade diferenciada dos blocos que tocam músicas de duplo sentido e que fazem apologia a coisa negativas”.

No que tange às associações que coordenam o carnaval do Nordeste, ABCN e Mestre Bimba, Fábio não poupa ninguém e sobe o tom: “Até hoje não fui procurado para ter ao menos uma satisfação, o bloco Colar de Concha já existe a 5 anos e a primeira vez que fica sem desfilar.

Por incompetência, negligência ou falta de vontade de quem diz que coordena o carnaval do Nordeste de Amaralina. Fábio Nollasko é artista do bairro, leva o nome do Nordeste de Amaralina por onde quer que passe e merece respeito”. O músico aproveita também para dar uma satisfação ao público que aguardava a sua apresentação  

Gostaria de pedir desculpas a toda galera que esperou o Colar de Concha e Fábio Nollasko passarem e não teve o prazer de curtir uma boa música. Várias pessoas ficaram até 2h da manhã esperando. Minha mãe veio para subir no trio e acompanhar e não esse prazer, entende? Isso é constrangedor, humilhante… O artista do bairro não ter o reconhecimento merecido. Essa é parte que eu realmente não acho legal”.

Saiba mais sobre a carreira de Fábio Nollasko:

COMPARTILHAR
Tiago Queiroz
Graduado em Comunicação/Jornalismo, e exerce as funções de Editor e Coordenador de Jornalismo do Portal NORDESTeuSOU